Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rita da Nova

Qua | 30.08.23

We Had to Remove this Post, Hanna Bervoets

O destaque de autores nacionais é das secções que mais gosto de conhecer quando visito livrarias no estrangeiro, já que me dá uma noção daqueles que são mais conhecidos ou traduzidos. Fiquei contente quando, ao visitar a The American Book Center em Amesterdão, encontrei uma estante dedicada a autores holandeses e recordei um livro que já havia andado no meu radar há algum tempo: We Had to Remove this Post, de Hanna Bervoets.

 

we-had-to-remove-this-post-hanna-bervoets.JPG

 

Acabei por lê-lo todo enquanto estava pelos Países Baixos, uma vez que é mesmo muito curto, diria até que está algures entre a novela e o conto. Conta-nos a história de Kayleigh, que trabalha numa empresa que se dedica a monitorizar conteúdos nas redes sociais — a função dela é retirar conteúdos ofensivos, teorias da conspiração, etc., de acordo com um conjunto de guidelines que devem ser seguidas à risca. Ao início tudo corre bem e a protagonista consegue fazer amigos e, até, encontrar uma namorada dentro da empresa. Porém, quando a namorada Sigrid começa a ficar fragilizada, como consequência de todas as coisas horríveis que o trabalho a obriga a ver, Kayleigh apercebe-se de que talvez ninguém do seu ciclo próximo esteja propriamente bem.

 

Maybe falling in love isn’t filling up a loyalty card with feelings and actions so much as just adding two things together: desire plus fear. The desire had appeared fairly suddenly—ever since that first kiss, really. The fear, on the other hand, grew gradually: fear that she wouldn’t be coming to the sports bar that night, fear that we wouldn’t end up kissing, fear that she’d change her mind. Those were pretty much the stages of falling in love for me.

 

A meio da leitura fui ao Goodreads e vi que o rating deste livro é bastante baixo (menos de 3), o que honestamente não compreendi. É certo que é bastante curto para o potencial que tinha — podia perfeitamente ter sido mais explorado —, mas achei um bom entretenimento e gostei da maneira como a autora construiu o ambiente que se vive na empresa. Não é um daqueles livros que muda a vida de alguém, longe disso, mas tem uma premissa bastante original, que me fez lembrar uma mistura entre um episódio de Black Mirror e a série Severance.

 

Entretanto já fui ler algumas coisas sobre a autora e percebi que tem mais livros traduzidos para inglês, todos dentro desta onda mais distópica que ultimamente me tem interessado bastante. Por isso, digam-me: já leram coisas dela? Se sim, o que me recomendariam?