Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qui | 21.01.21

The Vanishing Half, Brit Bennett

The Vanishing Half, de Brit Bennett, esteve nas bocas do mundo no ano passado pelas melhores razões. Li muito boas reviews ao livro e aproveitei um belo desconto na Kobo Store para o comprar (custou-me 3€). Sim, é mais um livro sobre desigualdades raciais, mas é muito mais do que isso – é um livro sobre como tudo isso afecta relações familiares que, já de si, são complexas. 

 

the-vanishing-half-brit-bennett.jpg

 

As gémeas Vignes nasceram no final dos anos 30 em Mallard, uma terrinha no Louisiana que juntou pessoas que não eram suficientemente brancas para serem aceites em comunidades de brancos, nem suficientemente negras para serem aceites em comunidades de negros. As duas irmãs, Desiree e Stella, são muito diferentes, mas ambas têm dificuldade em encontrar um lugar na comunidade. Isto faz com que Desiree se identifique muito mais com pessoas negras e Stella com pessoas brancas. 

 

Lightness, like anything inherited at great cost, was a lonely gift. He’d married a mulatto even lighter than himself. She was pregnant then with their first child, and he imagined his children’s children’s children, lighter still, like a cup of coffee steadily diluted with cream. A more perfect Negro. Each generation lighter than the one before. 

 

Na adolescência, as gémeas decidem fugir de casa para suprir essa necessidade de identificação e pertença, mas acabam por se separar e estar cerca de 40 anos afastadas, sem saberem uma da outra. Ao longo da narrativa vamos acompanhando o ponto de vista de ambas, vamos conhecendo as suas histórias e problemas. Mas também vamos acompanhando as histórias das suas filhas, cujos caminhos se vão cruzando. 

 

Não vou dar mais detalhes sobre a narrativa em si, porque acho que merecem ser surpreendidos pelo enredo e pela forma como as histórias destas mulheres se vão interligando apesar de haver um esforço de cada uma delas de viver a sua vida sem estar presa à família. Vou, sim, dizer-vos que as personagens estão muito bem construídas e que gostei muito do contraste de a filha de Stella ter uma personalidade mais parecida com a de Desiree e vice-versa. 

 

O livro merece todo o hype que teve durante 2020 e recomendo muito que o leiam e espero que gostem. Quem desse lado já leu? O que acharam?

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.