Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qui | 11.05.23

The Starless Sea, Erin Morgenstern

Sabem quando se atiram completamente para fora da vossa zona de conforto nas leituras? Foi exactamente o que quis fazer com The Starless Sea, de Erin Morgenstern — porém, não foi o facto de ser um género diferente do habitual que me fez terminar este livro com mixed feelings. Vou só dar um passo atrás e falar-vos da premissa da história, para que percebam depois as minhas dificuldades.

 

the-starless-sea-erin-morgentern.JPG

 

Zachary Ezra Rawlins descobre um livro misterioso na biblioteca da Universidade — ao lê-lo, no meio de histórias de amor e de colectores de chaves, encontra um episódio da sua infância, algo que viveu e nunca partilhou com ninguém. Isto faz com que vá em busca da história por detrás deste livro e, no processo, encontre a porta para uma biblioteca antiga, escondida debaixo da terra. Claro que há mais na história, mas acredito que baste a premissa para vos enquadrar em tudo aquilo que este livro prometia — sociedades secretas, algum realismo mágico, livros e, até, gatos.

 

Strange, isn’t it? To love a book. When the words on the pages become so precious that they feel like part of your own history because they are. It’s nice to finally have someone read stories I know so intimately.

 

The Starless Sea tinha tudo para ser um daqueles livros que gritam “Rita da Nova” por todo o lado e, ainda assim, sinto que me falhou mais do que conquistou. Gostei bastante da construção inicial do mundo em que a história se passa e da apresentação das personagens, mas faltou alguma orientação ao enredo e, acima de tudo, explicações no final. Claro que não é preciso que os autores expliquem exactamente tudo o que se passa nos livros, há uma certa margem importante de interpretação, mas aqui senti-me francamente perdida.

 

A escrita de Erin Morgenstern foi a melhor parte deste livro e acabei a destacar imensas citações pela forma como a autora consegue resumir alguns pensamentos em palavras. Em certas partes pareceu-me haver necessidade de uma ediçãozinha, mas, de resto, gostei bastante do estilo dela e quero muito dar uma oportunidade ao The Night Circus — algumas pessoas cuja opinião valorizo já leram e gostaram muito.

 

Alguém já leu este livro (traduzido para português com o título Um Mar Sem Estrelas)? Se sim, partilham da minha opinião?

3 comentários

Comentar post