Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Sex | 05.11.21

The Spanish Love Deception, Elena Armas

Não sou muito fiel a contas de Instagram sobre livros, mas a da Elena Armas é das que sigo há anos. Fui acompanhando o processo de escrita de The Spanish Love Deception através das publicações que ia fazendo e, quando a Joana (a minha companheira de Livra-te) disse que tinha lido e tinha gostado, achei que merecia uma oportunidade.

 

the-spanish-love-deception-elena-armas.jpg

 

Demorei um bocadinho a conseguí-lo por vias legais — segundo entendi, a autora lançou o livro sozinha e, depois, conseguiu juntar-se a uma editora para conseguir fazê-lo chegar a mais mercados. Foi aí que o consegui no Kobo e comecei a ler. The Spanish Love Deception é um romance puro, que segue uma narrativa enemies to lovers: Catalina, a protagonista, é espanhola e vive em Nova Iorque, onde trabalha numa empresa tecnológica. Quando precisa de regressar a Espanha a propósito do casamento da irmã, ela sabe que não pode ir sem um acompanhante porque a família vai azucrinar-lhe a cabeça.

 

É aí que entra Aaron Blackford, o colega de trabalho que ela odeia, mas que se oferece para ser o +1 dela. Já estão a ver o que vai acontecer, não é? Será que o ódio é mútuo ou sequer assim tão verdadeiro? Posso apenas dizer que a personagem do Aaron só podia ser ficcionada, porque não existe um homem tão perfeito quanto este. Mas é assim, para que servem os livros, se não para nos fazer sonhar?

 

You are all that, Catalina. You are light. And passion. Your laughter alone can lift my mood and effortlessly turn my day around in a matter of seconds. Even when it's not aimed at me. You.. can light up entire rooms, Catalina. You hold that kind of power. And it's because of all the different things that make you who you are. Each and every one of them, even the ones that drive me crazy in ways you can't imagine. You should never forget that.

 

Em geral gostei do livro e, embora se note claramente que é o primeiro da autora, também é evidente que ela tem bastante potencial e que se diverte muito a escrever este tipo de romances (está inclusivamente a trabalhar no próximo, onde explora as personagens Rosie e Lucas, uma amiga e um primo de Catalina). Senti apenas duas coisas: por um lado, é bastante lento e descritivo, às vezes parece que estamos a acompanhar episódios mundanos das personagens que não fazem propriamente a narrativa avançar ou que não contribuem para construir as personagens. Por outro lado, senti falta de conflito porque, apesar de haver um conflito interno grande na personagem principal, pareceu-me tudo bastante simples para o romance acontecer.

 

Resumindo e concluindo: se gostam deste género ou estão a precisar de um livro mais levezinho para limpar o palato, podem dar uma oportunidade a The Spanish Love Deception — para já apenas disponível em inglês. Já tinham ouvido falar do livro ou da autora? Ficaram com curiosidade? Contem-me tudo nos comentários!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.