Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Ter | 19.10.21

The Seven Husbands of Evelyn Hugo, Taylor Jenkins Reid

Então vocês não estavam mesmo a mentir quando diziam que The Seven Husbands of Evelyn Hugo, de Taylor Jenkins Reid, era incrível. Se vão acompanhando as reviews aqui no blog sabem que, da autora, já li Daisy Jones & The Six e Malibu Rising – e, apesar da curiosidade com este livro, estava com algum medo que não correspondesse às expectativas.

 

the-seven-husbands-of-evelyn-hugo.jpg

 

O título é bastante auto-explicativo: em The Seven Husbands of Evelyn Hugo conhecemos a vida de Evelyn Hugo, uma actriz de Hollywood. Agora que chegou à velhice, Evelyn está pronta para revelar ao mundo toda a verdade sobre o seu lado familiar, profissional e, claro, amoroso. Porém, a actriz escolhe uma jornalista ainda pouco conhecida para escrever a sua história, o que nos deixa logo alerta para uma possível ligação entre as duas (ligação essa que é prontamente confirmada, embora não logo revelada, pela própria Evelyn).

 

People think that intimacy is about sex. But intimacy is about truth. When you realize you can tell someone your truth, when you can show yourself to them, when you stand in front of them bare and their response is 'you're safe with me'- that's intimacy.

 

A pergunta que toda a gente quer ver respondida surge rapidamente: dos seus sete maridos, qual foi o verdadeiro amor da vida de Evelyn? A partir daí, a história desta personagem vai-se desenrolando, dos anos 1950 até ao presente. Acho que já tinha dito isto, mas Taylor Jenkins Reid tem a capacidade de criar universos e personagens tão ricos, que quase parece que aquelas pessoas, aqueles sítios e aquelas situações existiram mesmo. Se já o tinha sentido com os outros dois livros, acho que o senti ainda mais com este. Não acho que Evelyn Hugo seja uma personagem que se ame completamente, às vezes chegou a irritar-me, mas tem um arco muito bem desenvolvido e estas "falhas" só a tornam mais humana, quase real.

 

O livro está extremamente bem escrito e é muito emocional do início ao fim, fala de diferentes tipos de amor e de como as pessoas que entram nas nossas vidas acabam por moldá-las – ou, melhor, da forma como podemos aproximar-nos de certas pessoas, dependendo do nosso contexto. Além disso, tem uma abordagem muito bem feita à bissexualidade, que muitas vezes pode ser mal interpretada mesmo dentro da comunidade LGBTQ+.

 

Adorei mesmo este livro e, para quem leu outros da autora, tem uma pequenina ligação com Malibu Rising que eu adorei ver. Não me espantava nada que Taylor Jenkins Reid fosse deixando pequeninas pontes entre estes livros dela, que se passam todos mais ou menos na mesma altura. Quem desse lado também amou conhecer a Evelyn e os seus sete maridos?

6 comentários

Comentar post