Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Ter | 27.04.21

The Incendiaries, R. O. Kwon

Escolher o The Incendiaries, de R. O. Kwon, foi uma espécie de tiro no escuro porque não conheço a autora, nem nunca tinha ouvido falar do livro. Cheguei até ele porque o Kobo mo sugeriu e, como estava a 0,99€ e era curtinho, decidi dar-lhe uma oportunidade entre leituras mais demoradas. O que eu não contava era que, apesar de ter poucas páginas, conseguisse ser tão pesado. 

 

the-incendiaries-r-o-kwon.jpg

 

Na realidade, eu devia ter antecipado porque a sinopse diz: “A powerful, darkly glittering novel of violence, love, faith, and loss, as a young woman at an elite American university is drawn into acts of domestic terrorism by a cult tied to North Korea”. Ninguém olha para isto e pensa é isto mesmo, uma coisa levezinha para me entreter, mas eu achei que fazia sentido e depois levei uma bela bofetada dada pela R. O. Kwon.

 

Essencialmente, acompanhamos o namoro entre Will e Phoebe, que se conhecem quando ambos entram na Edwards University. Will tenta por tudo ser bem sucedido nesta escola prestigiada e, não tendo grandes posses, tem que servir às mesas enquanto estuda. Transferiu-se de uma universidade católica depois de ter começado a desacreditar na religião. Paralelamente, Phoebe demonstra um interesse cada vez maior na matéria e começa a juntar-se a uma espécie de culto encabeçado por um antigo aluno chamado John Leal. 

 

People with no experience of God tend to think that leaving the faith would be a liberation, a flight from guilt, rules, but what I couldn't forget was the joy I'd known, loving Him.

 

Will rapidamente percebe os controlos extremistas deste grupo em que Phoebe se vê mais e mais envolvida, pelo que a partir de metade do livro acompanhamos os esforços dele para afastar a namorada daquelas pessoas. A novela é escrita a três vozes – Will, Phoebe e John Leal – e eu acho que grande parte da profundidade que senti vem, precisamente, de termos todos estes pontos de vista num livro tão pequeno. Ainda assim, também acredito que seja isso que o torna tão completo, já que consegue mostrar-nos o que pode fazer com que alguém se junte a um culto. 

 

Andei a procurar, mas não encontrei informações de que tenha sido traduzido para português. Por isso, se tiverem o hábito de ler em inglês e quiserem experimentar uma leitura um pouco diferente, tanto no tema como na forma de contar uma história, acho que deviam dar uma oportunidade a este The Incendiaries. Já tinham ouvido falar dele ou da autora?

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.