Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qui | 20.06.24

Teoria das Catástrofes Elementares, Rita Canas Mendes

Vi a capa de Teoria das Catástrofes Elementares, de Rita Canas Mendes, e algo me disse que teria de o ler. Depois, em conversa com um amigo que teve a oportunidade de a entrevistar, confirmei que este romance teria tanto de trágico como de divertido — duas características que, como bem sabem, muito aprecio.

 

teoria-catastrofes-elementares-rita-canas-mendes.J

 

Rita Canas Mendes escreve muito, mas este é o seu primeiro romance. Ainda assim, não esperem uma história direitinha, que siga uma estrutura mais tradicional ou linear. Com Teoria das Catástrofes Elementares senti-me como se estivesse a espreitar o diário íntimo da protagonista, ou até como se estivesse a assistir a uma sessão de terapia em que ela recorda diversos episódios que a marcaram.

 

No fundo, é quase como se fosse uma manta de retalhos de episódios de vida, que se interligam e acabam por criar o retrato muito fiel de uma família e da época em que esta vive. A autora equilibra memórias mais divertidas com algumas mais trágicas, infância com adolescência, idade adulta com a constatação da velhice dos pais — e desenha muito bem uma família de classe média-alta dos anos 90. Está aqui o fantasma da Guerra Colonial e do regresso a Lisboa, está aqui a queda financeira no início dos anos 2000 (mas sem deixar que isso transpareça para os outros), está aqui uma certa frieza na forma como as pessoas desta família se tratam umas às outras.

 

É sempre melhor vivermos como se tudo o que nos aconteceu nos tivesse acontecido.

 

A melhor parte deste livro, para mim, é sem dúvida a escrita da Rita: sabe perfeitamente onde ser sarcástica, onde ser mais cuidadosa, onde ser mais bruta. E parece-me que este estilo mais em crónicas é onde se sente mais confortável, embora eu adorasse ler um romance com um enredo e estrutura mais tradicionais, para ver que tipo de histórias seria capaz de criar. E isso leva-me ao ponto de que menos gostei: achei que termina de uma forma um pouco anticlimática, estava a gostar bastante da leitura e senti falta de ter deixado um texto mais impactante para o fim.

 

Recomendo muito a leitura desta Teoria das Catástrofes Elementares e ficarei, com muita curiosidade, deste lado a acompanhar os próximos projetos da autora dentro do romance.

2 comentários

Comentar post