Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

22.05.19

Palavras Cruzadas // Entrevistas de emprego

Rita da Nova
As entrevistas de emprego sempre foram muito dolorosas para mim. Sinto que aquela meia hora é sempre injusta: é difícil passarmos o que somos e o potencial que temos com apenas meia dúzia de respostas às perguntas do costume:   Onde é que te vês daqui a 10 anos? Quais dirias que são as tuas maiores qualidades e defeitos?     É claro que a esta última respondemos sempre que somos perfeccionistas e que isso é um defeito porque nos impede de entregarmos as coisas sem elas (...)
08.05.19

Palavras Cruzadas // O que realmente trazemos das viagens

Rita da Nova
As minhas últimas viagens têm tido todas uma coisa em comum - a diferença cultural. Faz sentido que assim seja: depois de conhecer quase toda a Europa, os restantes países do mundo vão sempre parecer mais exóticos. As regras da convivência em sociedade vão mudando mais e mais à medida que nos afastamos das fronteiras europeias e isso é muito interessante de verificar.     Cheguei há pouco tempo da Rússia, onde a parte mais difícil - para mim - foi ler a expressão corporal (...)
17.04.19

Palavras Cruzadas // Viver a dois

Rita da Nova
Meu bem,   Nem sempre acordamos no mesmo comprimento de onda. Hoje, por exemplo, foi um caso-tipo: estás todo entrevadinho dos ombros e ficaste especialmente sensível por causa disso. Se calhar não devia ter comparado essa dor pontual com a que nós, mulheres, temos todos os meses. Sou mais resistente à dor física do que tu, sim, mas isso não interessava nada para a conversa. Para mim era simples: arrancava-te o emplastro do ombro de uma vez e ias à tua vida. Para ti era o oposto: (...)
03.04.19

Palavras Cruzadas // Pessoas que desculpam as conquistas dos outros

Rita da Nova
Num dos meus workshops, a Soraia falou sobre vários tipos de pessoas que a irritam, mas houve um em particular que me ficou na cabeça - aquelas que desculpam as conquistas dos outros. Nunca tinha pensado nisso e, desde então, que tenho tomado muito mais atenção à existência destas pessoas. Não sei se serão o pior tipo de pessoas do mundo - acredito que estejam longe de ser - mas vale a pena (...)