Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

27.07.21

Becoming, Michelle Obama

Rita da Nova
Sim, este é o post em que vos revelo que me rendi aos audiolivros. Há algum tempo que andava para experimentar, assim como andava há bastante tempo para ler o Becoming, de Michelle Obama, e então pensei – por que não juntar o útil ao agradável e ouvir este livro a ser-me narrado pela autora? Posso dizer-vos que fiquei apaixonada por tudo: por ter a voz dela a contar-me o livro nas viagens de carro, pela história dela e pela maneira como a escreveu.      Estava no meu primeiro (...)
15.07.21

Autobiografia Não Autorizada, Dulce Maria Cardoso

Rita da Nova
Já disse isto várias vezes e não me canso de repetir: é impossível colocar em palavras a admiração que sinto pela Dulce Maria Cardoso. E, depois de ler o seu novo livro, Autobiografia Não Autorizada, passei a gostar ainda mais da mulher por detrás da escritora – se é que isto faz sentido.      É certo que eu esperaria que o próximo livro dela fosse o segundo volume de Eliete, que li no ano passado e adorei. Porém, soube-se que a mãe dela precisou de apoio e que a (...)
14.07.21

Notas Sobre o Luto, Chimamanda Ngozi Adichie

Rita da Nova
Não é novidade que a pandemia que vivemos há quase um ano e meio mudou muita coisa nas nossas vidas, mas também teve impacto em aspectos de que eu nunca me tinha lembrado. Por exemplo: nunca teria pensado no que é perder um pai, que está noutro país, em pleno pico dos acontecimentos. Como me sentiria nessa situação? O lado prático da morte de alguém, que já de si soa desumano, ganha uma carga ainda mais impessoal quando temos de lidar com as coisas pelo Zoom.      Foi ao ler o N (...)
09.07.21

Verity, Colleen Hoover

Rita da Nova
PÁRA TUDO! OH. MEU. DEUS. Estou obcecada com este livro – o que, para quem já o leu, é engraçado de se dizer. Andei durante tempos e tempos a ver um hype generalizado não só pela autora, Colleen Hoover, como por este título em específico – Verity. Depois de ter decidido ceder e lê-lo, deparei-me com uma questão: não o encontrava fisicamente à venda, nem através do Kobo.      Só depois de o ter terminado, enquanto passava os olhos pelos agradecimentos, é que percebi (...)