Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

23.09.19

O que os 27 me trouxeram

Rita da Nova
Este ano, ao contrário do habitual, não vos escrevo de uma qualquer cidade europeia para onde fugi no meu aniversário. Crescer também é isto: aceitar que às vezes a responsabilidade fala mais alto do que a nossa vontade de fazer outras coisas; aceitar que a felicidade pode ter diversas formas e não apenas aquelas a que estamos acostumados.     No ano passado disse-vos que (...)
11.09.19

Parabéns, Avózinha!

Rita da Nova
A minha Avózinha faz anos hoje. Não é a primeira vez (nem será a última) que vos falo dela por aqui - é impossível fugir a uma pessoa que foi e é tão importante para mim. Mas o motivo pelo qual as pessoas têm o 11 de Setembro tão presente na memória não é tão bom quanto o meu. Lembro-me perfeitamente de ver tudo a acontecer na televisão: tinha ido com a minha Avó para o trabalho porque as aulas ainda não tinham começado. Lá no consultório onde ela trabalhava, os (...)
08.07.19

Um ano de casamento

Rita da Nova
Lembro-me perfeitamente da primeira vez que me referi ao Guilherme como meu marido de forma natural - foi na caixa do Continente, quando a senhora me perguntou contribuinte na factura. Eu respondi: “sim, mas não é o que está associado ao cartão, que esse é o do meu marido”. Um momento tão romântico e ele nem estava lá para assistir porque calhou no dia em que fui às compras sozinha.     Faz hoje um ano que lhe tenho vindo a chamar marido. Quer dizer, tecnicamente fez há (...)
03.07.19

Palavras Cruzadas // O fim

Rita da Nova
Quando propus que o último Palavras Cruzadas fosse sobre o fim, não estava a espera que fosse falar de algo mais do que o último post desta rubrica que durou à volta de 40 semanas. Não estava à espera que a vida me trouxesse um fim doloroso sobre o qual falar. Por isso, hoje, vou fazer o que sempre fiz com o Palavras Cruzadas - usar este cantinho para escrever as coisas que estão aqui dentro à espera para serem transformadas em algo que possa passar aos outros.     Deixem-me (...)