Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

01.01.21

Obrigada, 2020!

Rita da Nova
Não há nada que possa dizer sobre 2020 que vocês não saibam já, que vocês não tenham também sentido na pele. Foi uma das maravilhas deste ano, não é? Esta sensação de que estamos juntos a passar por algo, apesar de não estarmos bem juntos. E, ao mesmo tempo, a sensação de que nunca estivemos tão sozinhos, tão virados para dentro.   Ao contrário dos outros anos, não espero nada para o 2021 que hoje se instala. Dá-nos o que tiveres, que eu já estou por tudo – sei (...)
08.07.20

Dois anos de casamento

Rita da Nova
Faz hoje 5 anos que nos conhecemos e 2 que casámos. Já aqui vos falei muito sobre o nosso casamento e acho que as coisas que fui escrevendo no blog são uma boa documentação de como a minha perspectiva mudou ao longo do tempo. Se há uns anos não acreditava no casamento e no que ele representa, com o casamento de amigos e a própria evolução da minha relação com o Guilherme, a minha perspectiva mudou muito.     Ao dia de hoje, nada me faz mais sentido do que termos casado - (...)
18.06.20

As coisas boas da quarentena

Rita da Nova
Esta semana senti, pela primeira vez desde o isolamento social, um pequeno regresso à normalidade. Saí de casa para ir ao escritório onde trabalho e tive um pequeno gosto do que era a minha vida antes da pandemia. E isso deixou-me a pensar em tudo aquilo por que o mundo passou nos últimos meses, na forma como tivemos que nos adaptar e em como o fizemos tão depressa.     Embora ainda estejamos longe de ter uma rotina igual à que tínhamos (isto se alguma vez voltarmos a ter), dei (...)
15.05.20

Parabéns, Coisa Boa!

Rita da Nova
Cá estás tu, pronto para abraçar mais um ano. Sei que este que passou e especialmente os últimos meses foram complicados, mais para ti do que para mim, na verdade. Sei o quanto precisas de ser do mundo, de andar por aí a fazer as pessoas rir. Espero ter conseguido mostrar-te, nestes dias, que sim - que tens a capacidade natural de fazer os outros rir (só não me peças para rir de trocadilhos parvos, que até o amor tem limites).     Mas estar tanto tempo contigo ultimamente - (...)