Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

05.07.22

We Have Always Lived in the Castle, Shirley Jackson

Rita da Nova
Os melhores livros são aqueles que não planeávamos ler, ou que nem sequer são o nosso género — foi assim que dei por mim a ler We Have Always Lived in the Castle, de Shirley Jackson. Estava na Madeira e a minha amiga Sofia disse: “vou-te emprestar o livro mais bonito que tenho”. A edição era efectivamente muito bonita e gostei muito de o ler.     Da mesma autora já tinha lido The Haunting of Hill House, de que não tinha gostado assim tanto. Mas este pequeno livro foi uma (...)
28.06.22

Swimming in the Dark, Tomasz Jedrowski

Rita da Nova
Se eu acho que tenho um novo livro favorito? Sim, chama-se Swimming in the Dark e é o único livro do polaco Tomasz Jedrowski. Foi-me algumas vezes recomendado como sendo o Call Me By Your Name passado na Polónia, mas posso desde já dizer que gostei bastante mais da experiência de ler este.     O livro é uma espécie de carta de Ludwik para Janusz, recordando a forma como se conheceram, como se apaixonaram e, inevitavelmente, como acabaram por se separar. Passa-se na Polónia dos (...)
24.06.22

Ordinary People, Diana Evans

Rita da Nova
Vocês também têm livros na vossa lista que estão constantemente a ser empurrados por outros que chegam e ocupam o lugar? Até há pouco tempo, Ordinary People, de Diana Evans, era esse livro na minha vida. Também já tinha ouvido opiniões não muito boas, o que acabava por me tirar a vontade de o ler. Agora que o terminei posso garantir que é uma leitura interessante e que foi melhor do que esperava.     Eu sei que o título pode parecer que este livro é só um rip-off de Normal (...)
16.06.22

Beloved, Toni Morrison

Rita da Nova
Toni Morrison era um daqueles nomes sonantes que estava na minha wishlist literária há imenso tempo e que, em poucos meses, passou de desejo a acção: falei sobre ela com a Joana quando fomos a Braga, depois a minha amiga Patrícia ofereceu-me Beloved e eu decidi que seria a minha escolha de Maio do Clube do Livra-te.     Acho que não teria chegado lá tão cedo se não fosse esta sequência de eventos e, embora não tenha sido uma leitura fácil, fiquei contente por finalmente ter (...)