Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

01.04.22

Música para o mês // Abril

Rita da Nova
⚠️ Este post foi editado porque o senhor Harry Styles, dono do meu coração, decidiu lançar uma música hoje. ⚠️ Nem acredito que entramos hoje em Abril, um mês que eu tanto antecipei, mas que sempre me pareceu tão longe. E assim de repente, o primeiro trimestre do ano também já passou... para onde se estão a escapar os dias neste 2022? Mas bom, passada a divagação habitual sobre a velocidade a que o tempo passa, resta-me falar um pouco do que está planeado para Abril.     Ao contrário dos meses anteriores, em que a minha vida se resumia a escrever (zero queixas, atenção), este mês chega para agitar um bocadinho as águas e para comprovar se eu ainda sei ter vida social como tinha pré-pandemia. Vão acontecer (...)
01.04.21

Música para o mês // Abril

Rita da Nova
Se eu estou feliz com a chegada de Abril? Estou, pois. E querem saber porquê? Provavelmente não, mas eu conto na mesma: porque vou de férias. Desde que trabalho que me habituei a tirar férias com o objectivo de viajar e, neste contexto, fica uma situação meio estranha para mim. Ainda assim, é importante reconhecer que precisamos de parar uns dias, seja para ficar simplesmente em casa ou perto dela.      Ando a sonhar com o momento em que possa regressar a Nova Iorque ou visitar (...)
23.03.21

Uma Dúzia de Livros // Abril: um livro sobre livros

Rita da Nova
Livros, livros, livros. Não é o amor por eles o motivo pelo qual estamos juntos nesta coisa chamada Uma Dúzia de Livros? Há poucas coisas que me dão tanto prazer quanto estar perto de livros, falar sobre livros, ler sobre livros. Certamente que se vão identificar com isto que vou dizer, mas, quando não estou a ler, estou a pesquisar sobre os próximos livros que quero ler, sobre os escritores, entre outros temas relacionados.      Para além desta paixão que, já por si, (...)
01.04.20

Verbo para o mês // Abril

Rita da Nova
E bom: parece que chegamos finalmente a Abril, depois do um mês tão estranho e difícil que foi Março. Estamos todos no mesmo barco e isso, de alguma forma, dá-me um alento diferente. Sei que não podemos mudar nada e que estamos todos a fazer o que podemos para controlar uma espécie de inimigo invisível, mas não deixo de me espantar com a forma como as nossas vidas podem mudar numa questão de dias.     Se tudo tivesse decorrido normalmente, neste momento estaria a falar-vos da (...)