Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Ter | 14.05.19

Rússia // Moscovo

Apesar do fascínio que tinha desde sempre com a Rússia - culpa dos autores russos que fui lendo ao longo dos anos -, a verdade é que não tinha muitas ideias pré-concebidas relativamente a Moscovo. Quando parti de Lisboa, com voo directo para a capital russa, tinha pouca noção daquilo que iria encontrar. Talvez por isso me tenha surpreendido tanto com a cidade que encontrei.

 

0.jpg

 

A primeira coisa que têm que saber é que Moscovo é uma cidade enorme e muito desenvolvida - encontra-se de tudo e há imensa coisa a acontecer por todo o lado. Contudo, a primeiríssima impressão que tivemos não foi tão positiva assim. O “hotel” (já vão perceber as aspas) que tínhamos reservado através do Booking não correspondia, de todo, àquilo que estava na plataforma. Era sujo, a recepcionista era muito mal-educada e depois viemos a perceber que poderia até ser uma espécie de bordel nas horas vagas.

 

Felizmente somos muito despachadas e, já na cidade, marcámos antes um hotel muito bom, situado numa rua cheia de movimento e restaurantes giros. Chama-se Pokrovka 6 Hotel, ficámos lá durante 5 noites e recomendo vivamente. A nossa primeira tarde na cidade foi passada assim, de um hotel para outro até nos sentirmos confortáveis. Depois de uma óptima noite de sono, foi tempo de explorar Moscovo.

 

O que vos trago hoje é um apanhado dos sítios que mais gostei de conhecer e que acho que merecem uma visita caso viajem para esta cidade. E não, não vou (ainda) falar de comida porque esse tema merece um post próprio. Ora então vamos lá a Moscovo:

 

 

Praça Vermelha e a Saint Basil’s Cathedral

Pois é, pessoas, levei uma vida enganada a achar que a Saint Basil’s Cathedral, com as suas cúpulas maravilhosas e coloridas, era o Kremlin. Mas não estava longe, uma vez que o Kremlin também faz parte da magnificente Praça Vermelha, um marco imperdível em Moscovo. É imponente e tem muitos monumentos para ver: podem entrar no Kremlin, no Museu Histórico do Estado, na Catedral e no Mausoléu do Lenine (infelizmente estava fechado para manutenção durante os dias em que lá estivemos).

 

1.jpg

2.jpg

 

Estávamos numa de poupar nas entradas em monumentos e museus, mas tivemos a sorte de apanhar o terceiro domingo do mês e pudemos visitar a Saint Basil’s Cathedral por dentro sem pagar. E se este edifício já é lindíssimo por fora, por dentro não desilude - é muito diferente do normal das catedrais, sobretudo as ortodoxas. Vale muito, muito a pena conhecer.

 

 

Metro de Moscovo

Construída na era soviética, a rede de metro de Moscovo foi criada com o objectivo de fazer das suas estações “Os Palácios do Povo”, ou seja, locais mais luxuosos que as pessoas comuns pudessem utilizar. Uma coisa é certa: nunca tinha visto estações de metro tão bonitas. Se as mais antigas parecem autênticas galerias de arte, as que foram construídas mais recentemente têm um design moderno e muito bonito também.

 

3.jpg

 

Para vos ajudar a escolher algumas estações para ver, aqui ficam as que visitámos:

> Teatralskaya

> Mayakovskaya
> Belorusskaya

> Novolobdskaya

> Prospekt Mira

> Komsorolskaya

> Taganskaya

> Kurkskaya

> Elektrozavoskaya

> Fonvizinskaya

 

Deixo-vos também uma curiosidade muito engraçada sobre o metro de Moscovo: se estivermos num comboio em direcção ao centro da cidade, então vão ouvir uma voz masculina a anunciar as próximas estações; se estivermos a dirigir-nos para fora do centro da cidade, então ouvimos uma voz feminina. O mesmo nas linhas circulares: uma voz masculina se estivermos a andar no sentido dos ponteiros do relógio e uma voz feminina se formos no sentido contrário.

 

4.jpg

 

Para além disso, tenham atenção a outra particularidade desta rede de metro. As estações que pertencem a mais do que uma linha têm nomes diferentes consoante a linha em que estivermos. Em Lisboa, por exemplo, a estação da Alameda tem esse nome independentemente de estarmos na linha vermelha ou na linha verde, certo? Em Moscovo (e São Petersburgo também), chamar-se-ia X, Y ou Z dependendo da linha em que viajamos.

 

 

Jardim Botânico & Gorky Park

Se o final de Abril, para nós, já é uma época primaveril, com as árvores a renascer e a relva a ficar pintalgada com flores, na Rússia isso não é bem assim. Uma terra que está debaixo de gelo durante mais de metade do ano precisa de mais tempo para entrar num ambiente mais de Primavera e Verão. Ainda assim - e apesar de meio despido - vale a pena dar um passeio pelo Gorky Park, um dos maiores da cidade - mais que não seja para verem os esquilinhos que por lá andam! Nós fomos a pé a partir da Catedral Christ the Saviour e ainda conseguimos ver a Estátua do Peter the Great e o Parque das Artes pelo caminho.

 

5.jpg

 

Numa nota um pouco diferente, também vale muito a pena conhecer o Jardim Botânico de Moscovo, sobretudo a estufa. O parque onde se integra é muito grande e é um sítio bonito para um passeio de fim de tarde.

 

6.jpg

 

 

Mercado de Izmaylovo

Esqueçam as lojas de souvenirs no centro da cidade, até porque não são assim tantas e geralmente são caras. Quando quiserem comprar presentes típicos para levar para casa façam-no no mercado de Izmaylovo, que fica a uns 40 minutos de metro do centro da cidade. É lá que vão encontrar o paraíso das Matrioshkas e de outras peças típicas de artesanato. Como em qualquer mercado, há que regatear para encontrar o melhor preço, mas diga-se de passagem que o que pedem como base não é muito caro.

 

7.jpg

8.jpg

9.jpg

 

Nós passámos uma manhã inteira por lá porque decidimos começar por visitar o Kremlin de Izmaylovo e só depois ir calcorrear as banquinhas do mercado. Sem exagero, vale a pena reservar meio dia para esta parte da cidade - e almocem street food lá, que eles fazem um salmão grelhado de comer e chorar por mais.

 

 

Monumentos da Conquista Espacial

É impossível visitar Moscovo e não ficarmos de certa forma contagiados com o imaginário da altura da corrida espacial. Há monumentos e estátuas de homenagem a tudo e mais alguma coisa, desde imponente o Monumento aos Conquistadores do Espaço, passando pela Estátua da Laika e terminando no Centro Panrusso de Exposições, onde, no meio de fontes lindíssimas e tantas outras coisas, há uma série de reconstituições de aviões e shuttles dessa época.

 

10.jpg

11.jpg

12.jpg

 

 

Biblio-Globus

Se acompanham o blog, sabem certamente que procuro sempre as melhores livrarias para conhecer em viagem - e a ida à Rússia não foi excepção. Em Moscovo visitei a Biblio-Globus, uma livraria enorme no centro da cidade. Se pela experiência com as pessoas poderia parecer que só haveria livros em russo, a verdade é que encontrei uma boa meia dúzia de estantes até ao tecto com livros em inglês. Percam algum tempo por lá e, se gostarem e conseguirem ler bem em inglês, tragam alguns clássicos russos convosco - ficam muito mais baratos do que comprados cá.

 

13.jpg

 

 

Por hoje - e sobre Moscovo - é isto. Espero que tenham gostado das recomendações e sintam-se à vontade para fazer mais perguntas sobre a cidade nos comentários. Para a semana volto a falar-vos da viagem à Rússia, desta vez sobre os dias passados em São Petersburgo. Conto convosco?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.