Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qua | 13.01.21

Rebecca, Daphne du Maurier

A minha primeira leitura de 2021 foi um daqueles clássicos que me habituei a ver por aí, mas nunca lhe tinha prestado muita atenção até ver que havia uma nova adaptação para filme na Netflix. Rebecca, de Daphne du Maurier, não é o tipo de livro que normalmente leio – é uma novela gótica, cheia de suspense e, confesso, houve ali partes em que tive um certo medinho.

 

rebecca-daphne-du-maurier.jpg

 

Para quem não conhece de todo este livro: a nossa narradora, de quem nunca sabemos o nome, conhece Maxim de Winter em Monte Carlo enquanto trabalha como dama de companhia de uma senhora americana. Quando essa senhora adoece a meio das férias, Maxim e a narradora começam a desenvolver uma relação de amizade e, pouco tempo depois, Maxim pede-a em casamento. Com o casamento vem a possibilidade de ir morar para Manderley, onde de Winter vivia com a ex-mulher, Rebecca, que morreu recentemente.  

 

We can never go back again, that much is certain. The past is still close to us. The things we have tried to forget and put behind us would stir again, and that sense of fear, of furtive unrest, struggling at length to blind unreasoning panic - now mercifully stilled, thank God - might in some manner unforeseen become a living companion as it had before.

 

O entusiasmo da narradora desaparece assim que começa a adaptar-se à vida em Manderley e percebe que a figura de Rebecca está sempre, de alguma forma, presente. Eu diria até que Rebecca é a personagem principal deste livro, embora já esteja morta e nunca apareça, nem em flashbacks. E se, ao início, a narradora acha que veio ocupar um espaço que todos consideram insubstituível, ao longo da história vai percebendo que talvez Rebecca não tenha sido a mulher que ela pensava. 

 

Vou parar por aqui para não estragar, porque acho que toda a gente merece ir sendo surpreendida à medida que avança neste livro. Vão à confiança, mesmo não sabendo muito mais do enredo porque a magia deste livro está mesmo neste deslindar de um novelo de mistérios e segredos. E mais não digo! Quem desse lado já leu este livro e/ou viu as adaptações para filme? 

1 comentário

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.