Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Planos para Abril

Um dia de Abril já passou, é verdade, mas venho sempre a tempo de falar um pouco do mês que passou e de vos contar o que tenho pensado para este - não é assim? E acreditem que Abril foi o mês escolhido para enfrentar um grande desafio, mas já lá vamos. Como vem sendo habitual - e como sei que têm mais do que fazer do que andar sempre a ler-me - quero recuperar aquilo que andou aqui pelo blog em Março.

 

POST-ABRIL.png

 

Assim em grande verdade, não diferiu muito do resto: muita comida boa, muita escrita e as memórias da viagem incrível a Cuba. Seja como for, houve alguns pequenos acontecimentos que quero reforçar porque não gostava mesmo que os perdessem.

 

 

O que comi

Março foi o mês do regresso aos restaurantes lisboetas depois das férias e deu para conhecer tanto algumas novidades, como para fazer check em alguns que estavam em lista de espera há algum tempo. Falo, por exemplo, das maravilhosas pizzas de Marselha da Mabiche Pizza, da comida saudável do Watt, do novo espaço Pasta non Basta em Alvalade e do Unique Sushi Lab, um laboratório de sushi de fusão.

 

Este mês, estranhamente, não houve grandes momentos de brunch, mas experimentei finalmente o Guilty by Olivier, o SUD Lisboa (spoiler alert: melhor burrata de sempre) e o Wood Sushi em Alvalade. E, mesmo no fim do mês, voltei ao Este Oeste para fazer as pazes com o restaurante.

 

mabiche-pizza-planos-abril.jpg

 

  

O que fiz

As grandes novidades do mês encontram-se neste capítulo. Escrevi uma carrada de posts com dicas sobre os locais que visitei em Cuba - HavanaViñalesCienfuegos e Trinidad -, mas ainda não terminaram, já que esta semana ainda vos vou falar sobre a viagem. E continuei a escrever muito, sobretudo nas rubricas Palavras Cruzadas (aqui e aqui) e 642 Things to Write About.

 

trinidad-planos-abril.jpg

 

Se acompanham o meu Instagram, sabem que as novidades de escrita não se ficam por aqui. Março foi o mês em que estreei, em conjunto com o Brunch do Mundo, um Workshop de Escrita de Sensações onde a comida nos ajuda a despertar os sentidos e a usá-los criativamente na escrita. Fiquem atentos porque brevemente haverá uma nova edição, mas para já fiquem com outra esteia: dia 22 de Abril haverá um Workshop de Escrita com Vinhos e ainda há vagas. Conto convosco?

 

workshop-brunch-do-mundo-planos-abril.jpg

 

Termino este resumo de Março com duas book reviews, já que foi um mês óptimo em termos de leituras. Terminei (finalmente) o A Little Life e tive tempo de ler um livrinho delicioso chamado A Cat, a Man and Two Women.

 

E em Abril?

Falemos então de Abril e do grande desafio que este mês me traz. Decidi entrar em Whole30, um regime alimentar que tem como princípio comer apenas comida real e não processada. Claro que, como qualquer “dieta”, tem as suas coisas boas e as suas coisas más. É um plano bastante limitativo, o que vai implicar ir menos a restaurantes ou ter que fazer escolhas diferentes. Para já não me quero alongar muito sobre este tema, já que planeio fazer um post semanal sobre como está a correr e o que estou a sentir, mas gostava que soubessem que faço isto para dar uma pausa de comida processada ao meu corpo. Não vou mentir: jantar fora quase todos os dias é muito bom, mas é como ir ao ginásio todos os dias - é muito bom, mas às vezes precisamos de parar e recuperar.

 

Para além disso, sou mesmo muito competitiva e gosto de me colocar em situações de desafio para provar a mim mesma que sou capaz. Há cerca de um ano fiz um mês sem açúcares adicionados (reais ou artificiais) e foi bastante fácil, por isso desta vez quis elevar a fasquia.

 

Tirando isto - que já me vai dar grande pano para mangas - prometo falar-vos do fim-de-semana que passei em Berlim e tenho planeado um fim-de-semana no Retiro do Bosque Country House, em Minde, entre Torres Novas e Porto de Mós. Vai ser uma excelente forma de terminar o mês. Quanto ao resto, é ir vendo.

 

Agora contem-me: alguém desse lado já esteve em Whole30? Se sim, o que têm para me contar?

 

[A fotografia do workshop é da autoria da Margarida Pestana]

9 comentários

Comentar post