Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Palavras Cruzadas // Um estranho de todos os dias

Um dia destes sento-me à frente dele e pergunto-lhe o que tanto escreve. Pensei uma vez, no meio das infinitas vezes que passei pela janela daquele café. Via-o sempre sentado ali, junto ao vidro. Sempre virado de frente para a porta, com folhas e cadernos em cima da mesa e de caneta em riste.

 

Para ser honesta, nem sempre o vi a escrever. Havia momentos em que, quando passava por ele, estava simplesmente a olhar para o infinito. Com aquele olhar perdido de quem tem ideias dentro da cabeça, mas nada no papel.

 

palavras-cruzadas-mesas-cafe.jpg

 

Se o queria apanhar tinha que passar por ali exactamente entre as 8h45 e as 9h10, coisa que fiz durante quase dois anos da minha vida. Foram raras as vezes em que aquela mesa estava ocupada por outra pessoa ou não estava ocupada sequer. Mas sempre que estava lá, tinha uma hipótese diferente na minha cabeça sobre o propósito daquelas palavras todas.

 

A certa altura convenci-me de que estava a escrever um livro, era a explicação mais plausível. Com isso surgiram-me mais perguntas: será que era o primeiro? De que género seria? E sobre o quê? Mas nunca tomei coragem para me sentar à frente dele e perguntar-lhe de uma vez por todas o que tanto escrevia. E depois a vida aconteceu, passou por nós e eu nunca mais percorri aquele caminho de manhã.

 

De vez em quando pergunto-me: será que já publicou o livro? Também se cruzam recorrentemente com alguém na rua, tanto que já se tornou parte da vossa rotina? Partilhem as vossas histórias na caixa de comentários!

 

_____

Este é o quarto post da rubrica Palavras Cruzadas, criada em parceria com o P.A. e, quem sabe, convosco também. A ideia é irmo-nos desafiando uns aos outros através da escrita e escrevermos sobre temas que saem um pouco da nossa zona de conforto ou registo. O tema desta quinzena foi ideia minhae podem ver também a resposta do P.A. ao desafio no blog dele. Para a próxima quinzena, estou completamente nas mãos dele (bring it on!).

 

Continuam a ler-nos nas próximas edições?

7 comentários

Comentar post