Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qua | 13.03.19

Os livros da Rita // Purple Hibiscus, Chimamanda Ngozi Adichie

Depois de ter lido dois livros da Chimamanda Ngozi Adichie fiquei cheia de vontade de ler tudo o que ela já escreveu, mas outros livros já comprados, que estavam em lista de espera, foram-se pondo à frente. Até que dei por mim em Ushuaia, a terra do fim do mundo, sem livros. Já tinha lido todos os que tinha levado e roubado os do Guilherme - e encontrar livrarias na Argentina que vendam livros em inglês é um filme. Numa livraria pequenina, encontrei o Purple Hibiscus desta autora.

 

purple-hibiscus-chimamanda-ngozi-adichie.jpg

 

Se tinha gostado do Americanah - a minha escolha para inaugurar o desafio Uma Dúzia de Livros -, então posso dizer-vos que adorei o Purple Hibiscus. Sinto que fez toda a diferença ter lido a versão em inglês - isso e o facto de ser escrito na primeira pessoa fez-me aproximar-me ainda mais da história.

 

Nesta narrativa, a autora explora muito mais directamente a realidade que se viveu durante o golpe militar na Nigéria, algo que é um pano de fundo muito ténue no outro livro dela que já tinha lido. Kambili, uma menina de 15 anos que vive no seio de uma família abastada. Mas nem tudo é perfeito nesta dinâmica familiar e o facto de ter um pai demasiado exigente e fanático da religião acaba por marcar o crescimento de Kambili e Jaja, o irmão mais velho.

 

Papa sat down at the table and poured his tea from the chinese tea set with pink flowers on the edges. I waited for him to ask Jaja and me to take a sip, as he always did. A love sip, he called it, because you shared the little things you loved with the people you loved.

 

É a figura da tia Ifeoma - viúva, mãe de três filhos e professora universitária - que vem mostrar um mundo totalmente diferente a estes dois jovens, ao mesmo tempo que a influência militar começa a mudar o curso das vidas destas personagens.

 

It was what Aunty Ifeoma did to my cousins, I realized then, setting higher and higher jumps for them in the way she talked to them, in what she expected of them.

 

Criei mesmo uma ligação com todas as personagens e achei as descrições da relação de Kambili e Jaja com o pai muito vívidas e reais. Tanto que festejei com saltos um acontecimento marcante (não vou revelar para não estragar) e chorei bastante nas páginas finais. Não consigo contar-vos mais sobre a história sem trazer spoilers, por isso adicionem este livro à vossa lista rapidamente.

 

There are people, she once wrote, who think that we cannot rule ourselves because the few times we tried, we failed, as if all the others who rule themselves today got it right the first time. It is like telling a crawling baby who tries to walk, and then falls back on his buttocks, to stay there. As if the adults walking past him did not all crawl, once.

 

Quem desse lado gosta da Chimamanda? Ando super fã de tudo o que ela escreve e faz, é só poder esta mulher!

 

_________

Purple Hibiscus by Chimamanda Ngozi Adichie

Avaliação: 9/10

Semelhante a: Americanah, da mesma autora e I Know Why the Caged Bird Sings, Maya Angelou

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Rita da Nova

    14.03.19

    Vale bastante a pena!
  • Comentar:

    CorretorEmoji

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.