Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Os livros da Rita // A Rapariga no Comboio, Paula Hawkins

RAPARIGACOMBOIO-POST.png

 

Bem sei que já venho anos-luz atrasada para vos falar neste livro, mas a vida é assim: não o li quando toda a gente leu e agora preciso de deitar algumas coisas cá para fora. No outro dia vi uma notícia que dizia que A Rapariga no Comboio foi o livro mais vendido em Portugal em 2015. Antes de ler eu não percebia se isto era bom ou mau, mas agora acho que já compreendo o fenómeno.

 

Quando mostrei aqui pelo blog e no Instagram que A Rapariga no Comboio tinha sido uma das minhas pechinchas da Feira do Livro deste ano, recebi uma série de mensagens e comentários contraditórios. Uns diziam que o livro era muito bom, outros que nem valia a pena o tempo gasto. Como é óbvio, o facto de não ser consensual deu-me ainda mais vontade de ler.

 

rapariga-no-comboio-paula-hawkins.jpg

 

A premissa é mesmo muito gira e vou transcrever para que possamos estar todos na mesma página (viram o que fiz aqui?):

 

Todos os dias, Rachel apanha o comboio... No caminho para o trabalho, ela observa sempre as mesmas casas durante a sua viagem. Numa das casas ela observa sempre o mesmo casal, ao qual ela atribui nomes e vidas imaginárias. Aos olhos de Rachel, o casal tem uma vida perfeita, quase igual à que ela perdeu recentemente. Até que um dia...Rachel assiste a algo errado com o casal... É uma imagem rápida, mas suficiente para a deixar perturbada. Não querendo guardar segredo do que viu, Rachel fala com a polícia. A partir daqui, ela torna-se parte integrante de uma sucessão vertiginosa de acontecimentos, afetando as vidas de todos os envolvidos.

 

Basta ver a capa - agora inspirada no livro - para percebermos que estamos perante um thriller. E, na verdade, a estrutura da história, contada através de três pontos-de-vista diferentes, é suficiente para nos prender do início ao fim. Apesar disso, não gostei da escrita em si - só ainda não percebi se é culpa da tradução ou se é mesmo uma incompatibilidade entre mim e o estilo da autora.

 

Não me arrependo de o ter lido, mas certamente que não mudou a minha vida. Foi bom para ler uma coisa mais levezinha e diferente do que é o meu tipo de leitura habitual. Foi, como costumo dizer, “meh”.

 

Já leram A Rapariga no Comboio ou o Escrito na Água, o mais recente livro da escritora? Recomendam? Também já ouvi dizer que o filme é péssimo, é verdade? Contem-me tudo nos comentários!

_________

A Rapariga no Comboio por Paula Hawkins

Avaliação: 6/10

Semelhante a: A Verdade Sobre o Caso Harry Quebert por Joël Dicker e Gone Girl por Gillian Flynn

20 comentários

Comentar post