Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qua | 28.04.21

O Vício dos Livros, Afonso Cruz

Como já tinha até falado por aqui, sexta-feira passada, dia 23 de Abril, celebrou-se o Dia Mundial do Livro. Coincidência ou não, dias antes eu tinha recebido um presente da Fnac cá em casa – um cartão oferta para assinalar a reabertura das lojas físicas e incentivar-me a “virar a página” deste capítulo tão escuro da nossa história colectiva. 

 

vicio-dos-livros-afonso-cruz.jpg

 

Aproveitei, num dia em que tive mesmo que sair de casa, para passar numa loja e trazer comigo os últimos lançamentos de dois autores portugueses que adoro – Contra Mim, de Valter Hugo Mãe e O Vício dos Livros, de Afonso Cruz. É sobre este último que quero falar-vos hoje, já que tudo se alinhou de uma forma perfeita para que fosse a minha leitura de sexta-feira, o dia em que se celebrou os livros e o vício da leitura que alguns de nós têm. 

 

Li quase sempre livros de ficção do autor Afonso Cruz, um dos meus favoritos. Aliás, não me lembro de alguma vez ter lido coisas dele que fossem etiquetadas como não-ficção, mas gostei de o ler neste registo mais pessoal. O Vício dos Livros reúne vários pequenos textos em que os livros ou a literatura têm protagonismo, são colocados no centro e observados de diferentes ângulos – os livros como potenciadores de amor, o poder das bibliotecas, a infelicidade de sabermos que nunca vamos ler todos os livros do mundo, o que nos faz ganhar o vício da leitura, a leitura como companhia, entre tantos outros. 

 

Depois de terminar o livro, estive a ver algumas das entrevistas e conversas de Afonso Cruz em torno desta colecção de pequenas odes à leitura e aos livros, e houve uma questão que me saltou à vista: pode este livro ser instigador do vício dos livros em alguém? Honestamente, apesar de ter gostado muito de o ler, acho que não. Por uma simples razão: este livro foi escrito de um leitor para outros, há nele um sentimento de pertença a um grupo de pessoas espalhadas por todo o mundo, que não se conhecem mas partilham uma paixão. Eu acho isso ainda mais poderoso, a ideia de ser um reflexo destas pessoas todas que andam por aí. 

 

Se vocês estão a ler este blog e chegaram até este post, é porque têm algum tipo de interesse em livros ou em literatura, por isso este livro será certamente uma boa experiência para vocês. Vão lá buscá-lo e preparem-se para sentir um quentinho no coração enquanto o lêem – pelo menos foi assim comigo. 

2 comentários

  • Imagem de perfil

    Rita da Nova

    30.04.21

    Como te percebo. ❤️
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

    Este blog tem comentários moderados.