Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Madagáscar // Île Sainte-Marie

A chegada à Île Sainte-Marie não foi propriamente pacífica, apesar de ficar relativamente perto de Maroantsetra e do Parque Nacional de Masoala, os nossos destinos anteriores. No regresso ao L’Hippocampe disseram-nos que, naquela semana, não haveria barcos para Saints-Marie. E engane-se quem acha que a partida ou não de barcos tem a ver com a meteorologia ou a disponibilidade de combustível. “Há barcos quando há”, é o que vos vão dizer com a maior naturalidade do mundo.

 

madagascar-ile-sainte-marie-3.jpg

 

Apesar do destino maluco escolhido aleatoriamente e dos cinco dias passados a fazer trekking no meio da selva, nós ainda estávamos em lua-de-mel e decidimos passar os últimos dias na praia, num destino paradisíaco. Nosy Be, no noroeste do país, costuma ser o destino mais frequente para quem procura este tipo de turismo, mas nós preferimos manter-nos na costa este e descer para a Île Sainte-Marie.

 

madagascar-ile-sainte-marie.jpg

madagascar-ile-sainte-marie.jpg

 

Teria sido uma boa ideia se não estivéssemos na época de chuvas. E se não tivéssemos que ter pago dois voos internos, com escala em Antananarivo, para conseguirmos lá chegar. Resumindo: o plano saiu-nos um bocado ao lado. Mas uma coisa é bem certa: não podíamos ter escolhido um alojamento melhor para estes dias. Ficámos no Princesse Bora Lodge & Spa e foram estas três últimas letrinhas que nos safaram.

 

Eu explico: apanhámos, no total, um dia de sol (uma manhã no dia em que chegámos e a tarde do último dia). Demos por nós com demasiado tempo para gastar em leituras e, obviamente, no spa. Fizemos massagens, tratamentos de pele e o diabo-a-sete, tudo a preços baixíssimos. Valeu-me esse tempo de dondoca e a Yoko, uma gata que andou o tempo todo atrás de nós ou ao meu colo.

 

madagascar-ile-sainte-marie-spa.jpg

madagascar-ile-sainte-marie-yoko.jpg

 

Choveu sem parar durante 48h, por isso nem conseguimos passear pela ilha ou visitar a Île Aux-Nattes, uma ilha mais pequena a sul de Sainte-Marie. Tive mesmo muita pena porque, do pouco que consegui ver da ilha com sol, é mesmo um sítio paradisíaco. 

 

madagascar-ile-sainte-marie-1.jpg

 

E, assim de repente, estávamos quase no final da viagem. Os dois dias seguintes foram passados a conhecer a capital, Antananarivo, mas sobre isso falo-vos para a semana. Até lá, digam-me: também já vos aconteceu irem para um destino paradisíaco e só apanharem mau tempo?

6 comentários

Comentar post