Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Qui | 30.09.21

Costa Amalfitana // Dia 1: Maiori, Minori e Ravello

Eu nem acredito nisto: este blog volta às origens com um post sobre viagens! Sim, daquelas para fora do país. Sim, com roteiro para ser partilhado aqui. Meu Deus, não caibo em mim de feliz por poder partilhar novamente as minhas experiências em viagem e, quem sabe, inspirar-vos a conhecer também o destino onde escolhi entrar nos 30 – a Costa Amalfitana, em Itália. Desta vez fui com duas amigas (Ciao, Márcia e Joana! 🙋‍♀️), por isso esperem também ver aqui pelo blog algumas das fotografias que elas tiraram. 

 

costa-amalfitana.jpg

 

Sem mais demoras, vamos lá falar de viajar para a Costa Amalfitana: 

 

O que fazer antes de ir:

Como estamos todos um pouco desabituados desta coisa de viajar e, agora, há uma série de restrições ou passos a cumprir antes de ir, vamos começar por falar um pouco da preparação prévia que é necessária. Não se preocupem: se estiverem vacinados e tiverem o respectivo certificado digital, não vão precisar de fazer teste PCR antes (⚠️ Estas informações referem-se ao que estava em vigor em Setembro de 2021, mas podem alterar-se a qualquer momento, pelo que convém pesquisarem antes de marcar. ⚠️) No nosso caso, foi apenas necessário ter o certificado sempre connosco no momento de despachar as malas no aeroporto e ao passar a segurança. 

 

Paralelamente, vão precisar de preencher um formulário de localização – a versão italiana para a ida, a versão portuguesa para o regresso. Com ambos, o objectivo é detectar potenciais cadeias de transmissão da Covid-19, caso vocês ou alguém que viajou perto de vocês fiquem infectados. No que diz respeito à necessidade de terem convosco o certificado de vacinação e/ou o teste PCR negativo para entrar em hotéis, restaurantes ou museus, posso dizer-vos que apenas nos pediram para entrar nas Ruínas de Pompeia e num restaurante em Sorrento (neste apenas perguntaram se tinha, nem sequer pediram para ver). 

 

 

Como ir e onde dormir:

A Costa Amalfitana fica numa península alguns quilómetros a sul de Nápoles e há várias formas de se deslocarem até lá. Como os voos para Roma estavam bastante mais baratos do que para Nápoles, optei por voar para Roma e alugar um carro para ir até à Costa Amalfitana e ter mais flexibilidade nas deslocações diárias. Antes que se perguntem: sim, é um caos conduzir em Itália, sobretudo nesta zona mais a sul. As estradas da Costa Amalfitana são estreitas e muito sinuosas, e se acrescentarmos a condução dos italianos à equação, nem sempre é simples – mas, honestamente, estava à espera de pior. 

 

sorrento-restaurant.jpg

 

Como estávamos de carro, decidimos dormir sempre no mesmo hotel em Sorrento, a partir de onde conseguíamos estar facilmente em qualquer ponto da península. Foi uma excelente decisão porque, não só é mais barato do que as cidades mais conhecidas, como Positano ou Amalfi, como tem bons restaurantes para jantar. 

 

 

Maiori, Minori e Ravello:

Foi, então, a partir de Sorrento que começámos o nosso primeiro dia pela Costa Amalfitana – decidimos ir de carro para experimentar e demorámos certa de uma hora e meia a chegar à primeira paragem. Como era Domingo acabámos por ficar algum tempo desnecessário no trânsito, mas, também por isso, optámos por visitar três cidades menos agitadas: Maiori, Minori e Ravello. 

 

maiori-1.jpg

 

Maiori e Minori são bastante semelhantes e bastante pitorescas. Em Maiori demos uma volta a pé pelo centro e visitámos os Giardini Palazzo Mezzacapo, que naquele dia estavam com convidados para um casamento que tinha acontecido ali mesmo ao lado. Minori foi o local escolhido para almoçar numa esplanada e passar um pouco mais de tempo, com direito a um mergulho na Spiaggia di Minori. Como provavelmente já souberam, grande parte das praias na Costa Amalfitana são privadas, o que significa que pagam em média 25-30€ para um dia de praia com direito a espreguiçadeiras e toldo. Porém, quase todas têm uma zona pública pequena, numa das pontas da praia, onde podem mergulhar e ficar a apanhar sol sem pagar – como o nosso objectivo não era fazer dias de praia completos, optámos sempre por esta via. 

 

 

O nosso fim de dia foi passado por Ravello, uma cidadezinha muito bonita que, ao contrário das outras duas, ganha por estar situada em altura – é o sítio ideal para vistas incríveis da zona costeira. Vale a pena passear pelo centro de Ravello, que é amoroso e bucólico, mas também vale super a pena visitar a Villa Cimbrone. O bilhete custa 7€ e, honestamente, foi do dinheiro mais bem gasto da viagem. Imaginem um cenário Call Me By Your Name… é isso. 

 

 

Regressámos a Sorrento quando o sol já se estava a pôr e foi muito bonito percorrer as estradinhas da Costa Amalfitana de noite, com o reflexo da lua no mar e as luzinhas das casas nas encostas. No dia seguinte decidimos experimentar o autocarro que percorre toda a zona para conhecer Amalfi, o Fiordo di Furore e Positano, mas sobre isso falo-vos para a semana. Já sabem: podem deixar as vossas dúvidas sobre a viagem na caixa de comentários!

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.