Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Seg | 17.12.18

Brunch do Mundo // Sul de África

Depois de ter lido o Born a Crime do Trevor Noah (que se passa na África do Sul e sobre o qual prometo falar-vos amanhã), achei uma coincidência engraçada que o novo menu do Brunch do Mundo representasse o Sul de África. De todo o continente, só fui a Madagáscar e, portanto, todas as experiências gastronómicas contam para sentir que conheço África.

 

brunch-do-mundo-retrato.jpg

 

Começo por vos dizer que este novo menu me surpreendeu bastante e superou o último, inspirado na Ásia Central. Estava à espera de pratos pesadões, cheios de condimentos, mas encontrei uma mistura interessante de sabores e algumas apostas arrojadas. Para abrir o apetite, esperava-nos um cesto com Pão Tigre e outro com Pão Mopotohayi, com uma consistência semelhante a bolo e um sabor parecido ao do pão de leite.

 

brunch-do-mundo-pao-tigre.jpg

brunch-do-mundo-pao-mopotohayi.jpg

 

A acompanhar toda a refeição esteve o Botswana, representado por um Sumo de Rooibos, Maçã e Citrinos. É bastante leve e só levemente adocicado, o que faz com que seja um bom complemento a todos os sabores do menu. Por falar em sabores, o prato mais estranho talvez seja a Sopa de Espinafres e Tangerina, inspirada no Lesoto. Bem sei que pode não fazer muito sentido introduzir citrinos numa sopa que, para além de espinafres, ainda leva arroz, mas basta provar para perceberem que tudo funciona na perfeição.

 

brunch-do-mundo-1-sumo-rooibos.jpg

brunch-do-mundo-sopa-espinafres-tangerina.jpg

 

Como de costume, ainda tivemos direito a explorar mais dois pratos salgados. Do Uganda vem o Rollex, mas por incrível que pareça tem pouco de diamantes e ostentação. Trata-se de um wrap com ovo por dentro, muito típico da street food deste país. O nome é uma derivação da palavra rolled egg. Já da Somália, com inspirações do Médio Oriente devido à proximidade geográfica, surge o Fatayer de Queijo. Foi um dos meus pratos favoritos pela mistura incrível entre queijo feta e ervas aromáticas.

 

brunch-do-mundo-1-rollex.jpg

brunch-do-mundo-fatayer-queijo.jpg

 

A primeira sobremesa é já um clássico Brunch do Mundo, presente desde a primeira temporada. São as Panquecas de Leite com Crumble de Canela e Creme de Kiwi, inspiradas na gastronomia da África do Sul e na obsessão que os sul africanos têm por panquecas. Confesso que é um dos meus all time favourites. Para contrabalançar, chamou-se a Guiné Equatorial, representada pela Granola de Amendoim e Gengibre com Creme de Abacaxi e Banana. Já agora: as granolas do Brunch do Mundo dão óptimos presentes de Natal para aquelas pessoas que adoram comer e viajar. Podem comprá-las pelo Facebook e tudo!

 

brunch-do-mundo-1-panquecas-leite.jpg

brunch-do-mundo-granola-africa.jpg

 

Agora que terminámos a pausa comercial - e que estamos prestes a chegar ao fim desta viagem -, é tempo de vos falar do último prato. Inspirada nos ingredientes que mais se produzem nas Seychelles, a Tarte de Côco e Banana tinha tudo para eu torcer o nariz. E torci, de facto. Não sou fã de côco nem de banana, mas já não é a primeira vez que o Brunch do Mundo me faz mudar de ideias. Não é que A-DO-REI esta sobremesa?

 

brunch-do-mundo-tarte-coco-banana.jpg

 

Lá está: na comida como nas viagens, o melhor mesmo é abrir a mente e não rejeitar nada à partida. E é isso que tenho a agradecer a este brunch, que a cada novo menu tenta dar a conhecer países e comidas que, de outra forma, não nos passaria pela cabeça visitar. Eu já estou curiosa relativamente à próxima edição e se ficaram também, é acompanhar pelo Facebook e Instagram - e ter a sorte de ser dos primeiros a enviar um e-mail quando as datas forem reveladas. Vemo-nos lá?

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.