Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rita da Nova

Qua | 09.08.23

All the Lovers in the Night, Mieko Kawakami

All the Lovers in the Night foi a minha segunda experiência com as histórias de Mieko Kawakami — no início deste ano tinha lido Heaven, que é um livro pequeno com uma grande crítica à sociedade japonesa. Aqui, voltamos a um dos temas mais importantes da literatura nipónica — a solidão —, mas com uma personagem principal na casa dos trinta.

 

all-the-lovers-in-the-night-mieko-kawakami.JPG

 

Fuyuko Irie é uma mulher bastante só, que nunca consegue realmente ligar-se a nada nem a ninguém. Trabalha como editora de texto freelancer, por isso está quase sempre sozinha em casa — e mesmo quando combina coisas com amigos ou colegas de trabalho, é como se fosse uma observadora não participante nos acontecimentos. Quer mudar — tenta inscrever-se em aulas num centro cultural ou manter planos com pessoas conhecidas —, mas há sempre qualquer coisa que a prende. Um dia, conhece Mitsutsuka, um homem mais velho e professor, com quem começa a ter várias conversas interessantes.

 

É um livro lento, extremamente focado nas preocupações e ansiedades de Fuyuko, bem como nos acontecimentos do dia-a-dia e no que ela pensa acerca do que se passa à sua volta. Não se deixem enganar pelo tamanho: embora seja uma história curta, quase todos os patágrafos têm uma reflexão interessante. A partir do momento em que conhece Mitsutsuka, o tema da luz começa a ganhar destaque: o homem fala-lhe da ciência por detrás da luz e responde às suas perguntas acerca da forma como a luz reflecte o que vemos. Foi aqui que o livro me prendeu completamente, já que adorei a forma como a autora combinou ciência e um lado mais poético.

 

The light at night is special because the overwhelming light of day has left us, and the remaining half draws on everything it has to keep the world around us bright.

 

Em resumo, All the Lovers in the Night é uma reflexão poderosa acerca da forma como pertencemos (ou não) à sociedade que nos rodeia, sobre a dificuldade de nos ligarmos aos outros e de sermos íntimos, sobre o papel que o indivíduo pode ter no colectivo (algo que é muito importante na sociedade japonesa). Gostei muito do livro, mas é daqueles para serem lidos com muita calma, com tempo para reflectir. Continuo com vontade de explorar mais livros da autora, sobretudo Breasts and Eggs, mas agora já sei que é preciso estar no estado de espírito certo.

 

Há leitores de Mieko Kawakami desse lado? Se ficaram com vontade de ler algo dela, mas não lêem em inglês, saibam que Seios e Óvulos (Breasts and Eggs) está em pré-venda e será publicado no final deste mês.