Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Sex | 09.10.20

A minha experiência com o Kobo

Sim, é verdade. Chegou finalmente o tão pedido e aguardado post sobre o meu Kobo (palmas! 👏).  Foi pensado: quis esperar para ler alguns livros lá, antes de vir aqui tecer considerações precipitadas. Quando coloquei as primeiras Instagram Stories com o Kobo recebi logo imensas perguntas e, por isso, mais tarde decidi fazer uma caixinha de perguntas dedicada a este tema - desta forma garanto que este post é realmente útil e responde a grande parte das questões que me deixaram.

 

kobo-clara-hd-1.jpg

 

Sem mais demoras, porque sei que têm mesmo muita curiosidade em saber, vamos lá tentar ser o mais completos possível:

 

PORQUE É QUE DECIDI COMPRAR UM E-READER (E ESCOLHI O KOBO)?

Se há uns anos me dissessem que eu andaria fascinada com um e-reader, eu provavelmente diria que estavam loucos. Eu sempre fui muito tradicionalista relativamente à leitura e dizia que nunca iria procurar alternativas ao papel, mas a verdade é que com o passar do tempo comecei as ver vantagens de ler em digital. Acima de tudo, é óptimo para andar de um lado para o outro porque é super leve. Leio muitas vezes calhamaços de 600 páginas para cima e não é muito prático andar de livro sempre atrás. Para além disso, é uma excelente alternativa para levar de viagem porque é garantido que nunca vou esgotar os livros que levo para ler (um dos meus maiores problemas).

 

kobo-clara-hd.jpg

 

Tomada a decisão de comprar um e-reader (ou pedir um como presente de aniversário, vá), a escolha quase que se resume a duas marcas: Kindle e Kobo. O Kindle é da Amazon e é, provavelmente, a marca mais conhecida e popular; o Kobo é da Rakuten e é um bocadinho o underdog dos e-readers, mas tem algumas vantagens. Ambos têm uma loja online própria, onde se torna fácil comprar livros.

 

Entre os dois, o Kobo é o que lê mais tipos de formatos nativos (EPUB, EPUB3, MOBI). O Kindle suporta apenas MOBI, então têm sempre que converter os ficheiros EPUB - isto parece tudo muito confuso, mas é bastante fácil. Outra coisa que me fez escolher o Kobo foi ter mais variedade de livros escritos em português - têm uma parceria com a Fnac, então também dá para fazer download dos livros através do site deles.

 

Por fim, resta ainda explicar porque é que escolhi o modelo Clara HD, o que mais directamente compete com o Kindle Paperwhite. Basicamente, depois de ler bastantes reviews que comparavam os modelos Kobo entre si e com os modelos Kindle, percebi que este era aquele que me trazia mais funcionalidades e conforto de leitura a um preço mais baixo (129€). Contudo, se estão interessados em investir num e-reader, aconselho a que façam o mesmo processo de leitura e pesquisa, uma vez que as minhas necessidades e critérios de escolha podem não ser os vossos!

 

 

LIVROS VS. KOBO

A primeira coisa que precisam de saber é que ter um Kobo não significa deixar de ler em papel. Algumas das vossas perguntas foram nesse sentido: não dá desgosto de não ter livros em papel? Não sentes falta de virar as páginas de um livro? Não tens saudades do papel? Como é abdicar de livros na estante para comprar e-books? É melhor do que livros?

 

kobo-clara-hd-3.jpg

 

Gente, vocês já viram fotos da minha casa, certo? O que não falta aqui são livros! Isto para vos dizer que não há nada melhor do que livros, obviamente, mas a verdade é que eu não quero (nem preciso!) ter todos os livros do mundo em minha casa. Eu vou sempre continuar a ler e comprar livros físicos, mas tendo um Kobo consigo fazer uma gestão muito mais eficaz do espaço que tenho na estante e do orçamento que tenho para gastar em livros. O Kobo tem capacidade para 8GB de livros e, sendo os ficheiros bastante pequeninos, conseguem ter até 6000 livros na biblioteca (difícil de esgotar o espaço, não é?).

 

Como decidir que livros comprar em papel e que livros comprar no Kobo? Foi outra das perguntas que me deixaram e que faz todo o sentido. Não acho que haja propriamente regras, mas vejo-me a comprar no Kobo aqueles livros que tinha em wishlist para ler, mas não tinha a certeza de que ia gostar - sejam eles de autores que já conheço ou de autores que nunca li. Aqui, o preço dos livros também conta muito e isso leva-nos ao próximo ponto desta publicação!

 

 

ONDE COMPRAR LIVROS & PREÇOS

Comprar livros para o Kobo é bastante simples, basta criar uma conta na Kobo Store. Para já só tenho comprado desta forma porque encontro lá tudo o que quero ler - tem a funcionalidade de ir pondo os livros em wishlist, para depois ser mais fácil escolher o que ler a seguir. Como já fui adiantando, encontra-se facilmente qualquer coisa que queiramos ler, tanto em inglês, como em português, como noutras línguas em que queiram ler.

 

De forma geral, os livros são mais baratos se comprados no Kobo - mesmo comparativamente a um BookDepository, por exemplo. Claro que pode haver excepções, mas aí o que sugiro é uma pequena pesquisa para perceber onde o podem encontrar mais barato. Também há formas de conseguirem os livros de borla, mas vou tentar resistir ao máximo a essa via - quero continuar a apoiar os autores, como quero que façam comigo um dia.

 

Pelo menos no caso do Kobo, é perfeitamente possível oferecerem cartões com saldo para as pessoas usarem na Kobo Store. Estão à venda em supermercados e lojas de tecnologia e se eu estou a contar-vos isto com alguma intenção? Que ideia…

 

 

UTILIZAÇÃO DO KOBO

Para terminar, chegamos ao ponto em que eu achei que iria ter mais resistência - a experiência de leitura em digital. Há uns anos tentei começar a ler num tablet, mas achei o ecrã ainda demasiado parecido com o de um computador. No Kobo é o oposto! Quando está sem qualquer luz parece um livro e, mesmo quando preciso de aumentar a luminosidade do ecrã, não cansa os olhos e não faz qualquer reflexo. É também excelente para ler deitada no sofá ou na cama, sobretudo com as persianas para baixo enquanto o Guilherme ainda está a dormir. Eu tenho a capa original Kobo, que para além de proteger ainda permite que o ponha apoiado numa superfície para não ter que estar a agarrar (óptimo para ler enquanto como, por exemplo).

 

kobo-clara-hd-2.jpg

 

A autonomia do bicho é incrível, acreditem. Faz hoje 3 semanas que o recebi e carreguei e… ainda vou com 50% de bateria. Já li quase três livros lá e leio todos os dias, por isso podem confiar. Por norma só faço highlights de citações que depois quero trazer para as reviews aqui do blog, mas se gostam de sublinhar e fazer anotações, saibam que isso também é possível e muito simples.

 

 

De forma geral e muito resumida: estou a gostar muito da experiência de ler no Kobo, bem mais do que achava. A relação qualidade-preço do e-reader em si é óptima, a experiência é muito semelhante a ler um livro e sinto que acabo por ler mais facilmente em tempos mortos - por ser leve, ando sempre com o Kobo na mochila ou na tote bag, tornando-se mais fácil pegar nele a qualquer momento e ler um bocadinho.

 

Obviamente que um e-reader nunca vai substituir o prazer de ler um livro, mas eu acho que há aqui espaço para um equilíbrio entre os dois - e eu estou a adorar encontrar o meu! Agora passo a bola para vocês: há mais alguma questão sobre o Kobo que gostassem de ver respondida? Se sim, deixem-na ali nos comentários 👇

20 comentários

Comentar post