Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Sex | 05.02.21

A Cidade de Vapor, Carlos Ruiz Zafón

É triste viver num mundo sem Carlos Ruiz Zafón, mas tornou-se um bocadinho mais suportável quando vi que tinham editado os seus contos numa colectânea chamada A Cidade de Vapor. Este pequeno livro reúne todos os onze contos do autor, dos quais eu só conhecia O Príncipe do Parnaso.

 

a-cidade-de-vapor-carlos-ruiz-zafon.jpg

 

Isto não é a book review mais completa que vocês já leram aqui pelo blog porque sinto uma dificuldade acrescida em falar de colectâneas – sejam elas de contos, de poemas ou de ensaios. Este livro tem, porém, a vantagem de trazer o Zafón que conhecemos nos seus romances e novelas: o Zafón da Barcelona gótica e do Cemitério dos Livros. Aliás, quem leu a tetralogia (ou partes dela) vai certamente reconhecer personagens, lugares e narrativas. 

 

Sempre invejei essa capacidade que algumas pessoas têm de esquecer, pessoas para as quais o passado é uma mudança de estação ou uns sapatos velhos que basta condenar ao fundo de um armário para que fiquem incapazes de refazer os passos perdidos.

 

Gostei muito de todos os contos, mas os meus favoritos foram Homens de Cinzento, pelo lado de crime e mistério que Zafón conseguia tão bem, e A Rapariga de Barcelona, por ser uma história meio macabra, mas muito bem construída. 

 

Aconselho muito a quem, como eu, tem saudades de ter mais Zafón para ler. Agora sim, posso dizer que já li tudo o que ele escreveu e só espero que o Universo seja querido comigo e descubram contos não editados, manuscritos, etc. Alguma coisa, por favor! 

 

Se ainda não leram todos os livros do autor, do que é que estão à espera? É um mundo tão incrível, que vale mesmo a pena descobrir. Sabiam da existência deste A Cidade de Vapor, editado em Portugal em Novembro passado?

13 comentários

Comentar post