Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

09.02.24

The Fair Botanists, Sara Sheridan

Rita da Nova
Não escondo que Edimburgo é um dos meus sítios favoritos, onde regresso e regressarei sempre com muita vontade. Fiquei muito contente quando minha amiga Pat (oi, amiga! 🙋‍♀️) foi lá e, ainda por cima, me trouxe um livro como presente. The Fair Botanists, de Sara Sheridan, junta então duas coisas de que gosto muito: plantas e a cidade escocesa.     Neste romance histórico somos transportados para os anos 1820, numa altura em que a cidade de Edimburgo vivia um estado de (...)
08.02.24

Tudo Pode Ser Roubado, Giovana Madalosso

Rita da Nova
Gostei tanto de ler Giovana Madalosso em Suíte Tóquio, que Tudo Pode Ser Roubado veio parar cá a casa poucas semanas depois de ter sido lançado pela Tinta-da-china. Mas só agora, com a vontade redobrada de dar conta da minha TBR infinita, consegui pegar nele — e só pensava que devia mesmo tê-lo feito mais cedo.     Apesar de ter sido publicado depois em Portugal, (...)
06.02.24

Early Morning Riser, Katherine Heiny

Rita da Nova
Apaixonei-me por este livro mal vi a capa e o título, mas não consigo explicar bem porquê. Talvez sejam as cores, talvez seja o facto de aludir a uma característica muito minha, a de gostar de acordar cedo. De qualquer das formas, algo me puxou para Early Morning Riser, de Katherine Heiny, só que depois aconteceu o que acontece sempre: sinto uma urgência muito grande em comprar um certo livro e demoro meses a lê-lo. É uma das coisas para mudar este ano, definitivamente.     Mas (...)
02.02.24

Lei da Gravidade, Gabriela Ruivo

Rita da Nova
Em 2024 quero muito continuar uma das missões que iniciei no ano passado: a de ler mais mulheres portuguesas. Tinha cá em casa o Lei da Gravidade, da Gabriela Ruivo, e decidi que seria uma das minhas leituras de Janeiro. Estava muito curiosa com este livro porque sabia que era semelhante em algumas coisas ao Enquanto o Fim Não Vem, de que gostei muito.     Também foi a minha (...)