Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

Qui | 22.02.24

Argylle, Elly Conway

Acompanharam todo o marketing à volta de Argylle, de Elly Conway? Um livro escrito com pseudónimo — suspeitou-se durante algum tempo que fosse escrito pela Taylor Swift (😂) —, direitos para adaptação ao cinema vendidos ainda antes de haver livro e, pouco depois do lançamento do livro e da estreia do filme, o anúncio de que é, na realidade, da autoria de Terry Hayes e Tammy Cohen. Para compreenderem tudo isto, aconselho este artigo da Vulture.

 

argylle-elly-conway.JPG

 

Com tanta conversa em torno de um livro que ainda nem sequer estava publicado, eu e o Guilherme ficámos com curiosidade e quisemos lê-lo em conjunto durante o mês de Fevereiro. A nossa ideia é fazer uma leitura partilhada por mês (em Janeiro lemos este) e achámos que fazia sentido começar com o livro e depois ver o filme — embora, segundo sei, há poucas coisas em que as histórias se cruzam. Qual é a história do livro, então? Pouco tem que ver com o que possam ter visto no trailer do filme.

 

Argylle conta a história de Aubrey Argylle, contratado pela CIA para ser espião de uma unidade especial, e Frances Coffey, uma figura importante no mundo da espionagem, que comanda essa unidade. Apesar de ser um livro cheio de ação, quase como se fosse um livro inspirado num filme cheio de coisas a acontecer, o início da narrativa pode parecer um pouco mais lento. Isto porque acompanhamos parte do processo de recrutamento de Argylle para a tal unidade especial, bem como a sua adaptação junto da equipa.

 

There are definite advantages to being a middle-aged woman, society's least visible demographic, at the top of the foremost secret service in the world. If no one even sees you, how could they ever suspect you of holding one of the most powerful positions on the planet?

 

Depois disso, é aquilo que se pode esperar de um livro sobre espiões: tudo a acontecer, russos contra americanos, nazis enfiados lá no meio, explosões, tiros, mentiras, idas a festas para roubar coisas, etc. Não posso dizer que não seja divertido (e muito fora daquilo que costumo ler), mas sei que não me vou lembrar de nada do que acontece daqui por uns tempos. De qualquer das formas, gostei muito da forma como os Elly Conway conseguiram construir as dinâmicas entre todas as personagens que compõem esta equipa.

 

Fiquei com curiosidade de ver o filme e de perceber até que ponto é inspirado no que li. Se estiverem à procura de uma leitura rápida e empolgante, em que cada capítulo vos deixa com vontade de saber o que vai acontecer de seguida, então vale a pena experimentarem este! Contem-me: quem desse lado já leu o livro e/ou viu o filme? Qual é a vossa opinião?