Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

Seg | 06.05.19

Rússia // O que saber

Com a minha viagem à Rússia, percebi que é um país sobre ao qual muita gente tem curiosidade - seja pela diferença cultural, pela vontade de o conhecer ou, até, por nunca o terem considerado como destino de férias. Espero que as fotografias que fui colocando no Instagram ao longo dos 12 dias que por lá passei vos tenham deixado com vontade de conhecer a Rússia. Surpreendeu-me muito pela positiva e aconselho toda a gente a colocar na lista de próximas viagens!

 

russia-1.jpg

 

Para vos dar um empurrãozinho - e antes de falar em concreto das cidades que conheci e de partilhar algumas dicas - venho deixar-vos uma série de coisas que têm de saber antes de ir.

 

 

1. O Visto

Apesar de ser tecnologicamente muito avançada, a Rússia ainda é muito burocrática. Na maioria das vezes é um sistema bastante contraditório, mas em geral parece funcionar bem. O primeiro contacto que tive com esta realidade foi na altura de pedir o visto - preparem-se porque vai demorar, é preciso ter muita atenção em todo o processo e terão que reunir uma série de documentos.

 

Ainda antes de fazer o pedido de obtenção de visto têm que garantir que o vosso passaporte tem validade de 6 meses e que reunem os seguintes documentos:

> Um seguro de saúde em viagem com uma série de especificidades. Por recomendação fizemos este da Alfa Strakhovanie, que custou 30€ por pessoa para 12 dias e é aceite em todas as embaixadas;

> Uma carta-convite de um operador turístico russo, seja um hotel ou uma agência de viagens. Não basta terem uma reserva feita e paga, é mesmo preciso pedirem ao hotel este convite formal. O nosso custou cerca de 20€ para duas pessoas e pedimos directamente ao primeiro hotel onde ficámos alojadas, em Moscovo;
> Uma fotografia tipo passe, a cores.

 

Só depois de terem tudo isto do vosso lado é que podem preencher o formulário de pedido de visto online. Tenham muita atenção a preencher tudo e garantam que as datas de viagem batem certo com as da carta-convite e as do seguro de saúde em viagem. Depois de preenchido, devem imprimir o formulário e levá-lo ao Centro de Vistos da Rússia, em Lisboa, onde vos ficam com o passaporte durante uns dias e cobram 65€ pelo visto.

 

russia-2.jpg

 

 

2. Dinheiro e pagamentos em território russo

Depois de uma experiência na Argentina, em que era difícil pagar com cartão multibanco, chego à Rússia e deparo-me com um cenário completamente diferente. Em quase todos os lugares é possível pagar com cartão e na grande maioria aceitam pagamentos com a funcionalidade contactless. É um país muito avançado neste sentido, pelo que acabei por levantar dinheiro só uma vez nos 12 dias de viagem.

 

Usei o meu cartão Revolut e não tive problemas em lado algum. Contudo, caso precisem de levantar dinheiro, garantam que o fazem num dia útil, já que ao fim-de-semana é comum cobrarem-se taxas.

 

 

3. Comunicação com os russos

Ya ne govoryu po-russki (não falo russo), é a frase que têm que aprender a dizer antes de uma viagem à Rússia. Vão de mente aberta e completamente preparados para a maioria das pessoas não saber falar inglês, mesmo em hotéis ou restaurantes. Mas não se preocupem: mesmo que algumas coisas tenham ficado lost in translation, houve sempre forma de nos entendermos com os russos. É frequente usarem aplicações de tradução por voz ou texto para comunicarem com os turistas, por isso aconselho a que instalem uma no vosso telemóvel.

 

russia-3.jpg

 

Apesar de parecerem muito austeros, valorizam que saibamos dizer pequenas coisas em russo, como privet (olá informal), spasiba (obrigado), do svidaniya (adeus) e pozhaluysta (de nada).

 

 

4. Transportes

Todos os transportes que apanhámos na Rússia funcionaram extremamente bem. As redes de metro de Moscovo e São Petersburgo são fantásticas, com carruagens a passar de dois em dois minutos no máximo, e a um preço bastante acessível. É a melhor opção para explorar as cidades até aos subúrbios e falarei melhor das estações lindíssimas do metro de Moscovo mais à frente, quando vos falar em pormenor sobre esta cidade. Outra opção boa para distâncias maiores (por exemplo: aeroporto-centro da cidade) é a app GETT, uma espécie de Uber a que nós associámos um cartão Revolut e correu sempre super bem. Sempre evitam a chatice de ter que explicar a um motorista que não fala russo para onde querem ir.

 

Usámos também comboios de longo curso para os percursos Moscovo-São Petersburgo, São Petersburgo-Petrozavodsk e Petrozavodsk-Moscovo (este último era um comboio nocturno) e todos tinham condições bastante boas sem terem um preço exagerado. É frequente oferecerem refeições, a viagem é bastante confortável e os comboios são extremamente pontuais, por isso não se atrasem!

 

russia.jpg

 

 

5. Segurança

É possível que já tenham visto vídeos de russos à pancada no YouTube - e eu ia à espera de me deparar com cenários assim -, mas senti-me bastante segura durante toda a viagem. Aliás, comentámos até a quantidade de procedimentos de segurança que eles têm. É frequente vermos polícia na rua e haver detectores de metais em locais de muita afluência de pessoas, como o metro e centros comerciais. Já nas estações de comboio, vão ver que precisam de passar a vossa bagagem pelo controlo de segurança como se de um aeroporto de tratasse.

 

 

6. Acesso à internet

Como acontece na maioria dos países europeus, na Rússia o acesso à internet móvel é bastante fácil e não só existe bastante cobertura, como quase todos dos estabelecimentos oferecem acesso gratuito ao wi-fi. A Rússia não está abrangida pelas novas regras do roaming na Europa, pelo que recomendo vivamente que comprem um cartão SIM russo para acederem à internet através dos vossos telemóveis sem pagarem um balúrdio. Nós até fizemos de outra forma: comprámos apenas um cartão com acesso ilimitado à internet (operadora Tele2, por cerca de 8€) e colocámos num telemóvel desbloqueado que fazia de hotspot para os nossos telemóveis. Funcionou bastante bem e foi uma óptima ajuda naqueles momentos em que tivemos que recorrer ao Google Translate para ajudar com a comunicação!

 

 

E pronto, acho que são os principais pontos que devem ter em mente se estiverem a preparar uma viagem à Rússia. Para a semana vou falar-vos da experiência em Moscovo e contar-vos as coisas que mais gostei de conhecer e visitar, mas para já gostava de saber as vossas dúvidas em relação à preparação desta viagem. O que vos dava jeito saber? Deixem todas as questões na caixa de comentários!