Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Rita da Nova

11.06.21

The Loudness of Unsaid Things, Hilde Hinton

Rita da Nova
Não sei se já vos aconteceu, mas apaixonei-me pelo título deste livro e acabei por me desiludir com o conteúdo. Acho que criar bons títulos é uma das tarefas mais complicadas no que toca a escrever, por isso custa-me a acreditar que alguém tenha sido capaz de ser excelente a fazê-lo, mas incapaz de manter a mesma qualidade no resto. The Loudness of Unsaid Things, de Hilde Hinton, foi a minha leitura depois de The Song of Achilles e acredito que, também por isso, não tenha tido a (...)
10.06.21

The Song of Achilles, Madeline Miller

Rita da Nova
Podem fechar 2021, que eu já encontrei o meu livro do ano! Conhecendo-me, sabem que isso significa uma leitura recheada de choradeira e emoção, mas o que é que eu posso fazer? A minha lua em Peixes não aguenta livros bem escritos, emocionais e com uma pitada de tragédia. Sim, podem esperar tudo isto de The Song of Achilles, escrito por Madeline Miller.      Este livro é uma re-interpretação da história de Aquiles e da Guerra de Tróia – e é fácil de ler e compreender, (...)
08.06.21

Música para o mês // Junho

Rita da Nova
Então olá, mês de Junho! Provavelmente repararam que estive ausente do blog nos últimos dias, mas prometo que foi por uma boa causa – uma semana passada na Madeira para descansar e vir cheia de vontade de criar conteúdo. Confesso que me soube mesmo muito bem andar no meio da natureza, quer em caminhadas, quer em mergulhos no mar. Sobretudo depois de tanto tempo em casa, parece que valorizo ainda mais esta ligação à terra.      Para dar as boas-vindas a este mês, que também (...)
27.05.21

Bunny, Mona Awad

Rita da Nova
O que é que eu acabei de ler, minha gente? O que é que eu acabei de ler? Vou ser honesta: não sei bem. Já terminei o Bunny, de Mona Awad, há uns dias e ainda não sei bem o que achei – se gostei, se adorei ou se detestei. Acho que foi uma mistura de todas estas coisas e nem sei bem se isto faz sentido.      Começando pela premissa, para vos situar: Samantha é a nossa protagonista, uma espécie de outsider num programa de escrita do Mestrado em Artes – um curso super (...)