Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Um fim-de-semana em Madrid

Madrid é um dos meus destinos favoritos para uma escapadinha de fim-de-semana. Não sei ao certo quantas vezes lá fui, mas de certeza que já não consigo contá-las só com os dedos de uma mão. Logo na primeira vez fiquei com a ideia de que viveria muito bem em Madrid, uma sensação que se mantém até hoje. Não é que a cidade seja espectacularmente bonita como Barcelona, cheia de glamour como Paris ou com uma personalidade forte como Londres. Madrid tem um ambiente muito ligado à movida madrilena e, ao mesmo tempo, uma forma calma de levar a vida.

Fica aqui tão perto, que não há desculpas para não a visitar! Por isso preparei-vos um roteiro de fim-de-semana que cobre os principais must see, sem esquecer obviamente algumas sugestões de sítios para comer. Antes de partirmos à descoberta convém saberem que - uma vez que dois dias são de facto pouco tempo -, decidi dividir a cidade mais ou menos a meio para facilitar as deslocações.

 

 

SÁBADO // Centro e Zona Ocidental

Como não poderia deixar de ser, sugiro começar o dia com um pequeno-almoço reforçado (um brunch, na verdade) no Le Pain Quotidien da famosa Gran Vía. Há diferentes opções de pequeno-almoço ou brunch - a minha favorita é o brunch vegan, mas os croissants integrais e o parfait de iogurte e granola também são excelentes. Comam bem porque vão precisar de força para ir a todos os sítios que temos na lista para este dia. Mesmo que não se sintam com energia, acreditem que Madrid vos vai contagiar rapidamente.

 

le-pain-quotidien

 

A Plaza del Callao fica bem perto, basta descer um pouco e já lá estão. Não é uma praça muito grande, mas tem uma vida interessante. É lá que fica um dos balcões turísticos onde podem obter um mapa gratuito da cidade, se ainda não tiverem um. A seguir, se continuarem a descer, vão encontrar uma das praças mais agitadas da cidade - a Puerta del Sol. É um sítio cheio de artistas de rua e pessoas vestidas de tudo e mais alguma coisa, por isso sentem-se um bocadinho junto à fonte e aproveitem o ambiente. Dois dos pontos mais atractivos desta praça são a estátua do Urso (símbolo da cidade) e a placa que indica o Quilómetro Zero - que não corresponde ao centro da cidade, mas sim ao ponto de onde partem 6 estradas que se espalham pela Península Ibérica.

Ali bem perto, numa zona muito castiça, fica aquela que pode ser considerada a praça principal de Madrid - a Plaza Mayor. Vale muito a pena passear um bocadinho por lá antes de seguirem para o Mercado de San Miguel. Se gostam de comida, vão adorar este sítio! Juro que nunca vi fruta tão bonita nem tão bem arrumada na vida. Podem aproveitar para petiscar qualquer coisa por lá, já que o que não falta são opções!

 

plaza-mayor-1

plaza-mayor-2

 

A tarde está dividida em duas partes. A primeira consiste em conhecer a zona do Palácio Real, a Catedral de Almudena (que tem uma das melhores vistas sobre a cidade), a Plaza de Oriente (onde adoraria morar um dia) e o Teatro Real. Sugiro depois terminar o dia a visitar o Templo Debod e respectiva vista, que oferece um pôr-do-sol maravilhoso.

 

 

plaza-oriente

 

Para acabar mesmo o primeiro dia em grande, não podem deixar de jantar no Bosco de Lobos, um dos meus restaurantes favoritos de Madrid. Mas atenção: convém reservar com bastante antecedência porque enche rapidamente (podem fazê-lo através do site deles). 

 

IMG_4973.jpg

 

Caso queiram conhecer toda esta parte da cidade com um pouco mais de orientação, recomendo vivamente que façam a tour grátis com os Sandeman. Vão cobrir grande parte do que vos falei, com a vantagem de terem um guia simpático e divertido a acompanhar-vos!

 

 

DOMINGO // Centro e Zona Oriental

Vamos começar o segundo dia com um passeio pela maravilhosa Gran Via? Esta constitui, de facto, o coração da cidade e podem respirar todo o ambiente madrileno só de andarem lá. Meninas que me estão a ler: entrem por favor na Zara desta rua, que vale a pena pelo edifício em si (e pelo facto de ser enorme, vá!). E tomem atenção ao famoso edifício Metropolis!

Mas o nosso passeio tem um destino: conhecer o Parque del Retiro e passar lá grande parte da manhã. Percam-se à vontade e aproveitem o facto de ser domingo e, possivelmente, o parque estar cheio de pessoas. Lá encontram o Palácio de Cristal, o grande lago com barquinhos que podem alugar e uma série de outros monumentos e edifícios muito interessantes.

 

el-retiro

el-retiro-2

 

Se sairem do parque por uma das suas saídas a sul vão dar com a Estação de Atocha, outro dos meus pontos preferidos da cidade. Não deixem de visitar o memorial criado em honra das vítimas do atentado de 11 de Março de 2004. É simples, mas ao mesmo tempo muito bonito e imponente.

Depois de um momento mais introspectivo, é hora de começar a subir o passeio dos museus. É aqui que podem visitar o Reina Sofia, o Prado e o Thyssen-Bornemisza - cada um com um estilo muito diferente. O meu favorito é sem dúvida o Reina Sofia, mas se só puderem escolher mesmo um, então sugiro que optem pelo Prado. Podem ver lá imensos Goyas e as Meninas do Velázquez! Para além disso - e esta é a parte boa - é grátis todos os dias a partir das 18h.

 

passeio-museus

 

Se continuarem sempre a subir não só vão encontrar os museus, como também a Caixa Fórum (que tem um edifício muito giro), a Fonte de Neptuno, a Plaza de Cibeles, a Puerta de Alcalá e, se quiserem prolongar o passeio, a Plaza de Colón. Prometo que é um passeio muito agradável e que se faz muito bem.

 

cibeles

 

“E sugestões para comer, Rita, não há?”, perguntam vocês. Há pois, ou não me chamaria eu Rita da Nova. Nesta parte da cidade há dois restaurantes de que gosto muito: o Ana La Santa e o Oribu Gastrobar. A escolha vai depender do que vos apetece: se preferirem um sítio onde podem comer umas tapas reinventadas, escolham o primeiro. Se quiserem experimentar um restaurante asiático de cozinha de fusão, então optem pelo Oribu. Ambos são excelentes, podem confiar!

 

Como sei que é muita informação junta, criei mais um mapa interactivo para verem onde ficam exactamente todos os pontos de que vos falei neste post:

 

 

Algumas dicas extra

A viagem do aeroporto até ao centro da cidade é facílima, já que a rede de Metro de Madrid chega ao aeroporto (e a todo o lado, na verdade). É apenas preciso pagar uma taxa de entrada na cidade, mas o valor é-vos acrescentado ao bilhete. 

Outra forma de agilizar a vossa viagem e poupar nalguns custos é adquirir o MadridCard. Claro que só compensa se planearem visitar mais do que uma atracção, mas têm também a vantagem de ter entrada prioritária nalguns museus ou monumentos. Assim, não só poupam dinheiro como acabam por poupar tempo. 

 

O que acharam deste pequeno roteiro? Foi-vos útil? E quem já conhece Madrid, o que acrescentaria a esta lista de coisas para fazer e visitar em dois dias?

8 comentários

Comentar post