Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Rita da Nova

NYC: a não perder

Lembram-se de vos ter dito (aqui) que um dia falaria sobre aquilo que acho absolutamente imperdível em Nova Iorque? Pois bem, esse dia chegou. Mas não pensem que foi tarefa fácil escolher apenas alguns pontos. A verdade é que TUDO é imperdível nesta cidade, mesmo as atracções e locais que sabemos serem 100% turísticos. Reduzi esta lista a uma parte dos sítios que, na minha humilde opinião, valem mesmo a pena visitar.

 

Chelsea Market

Paraísos dos foodies, dos gourmands ou simplesmente daqueles que não conseguem recusar mais uma dentada ou garfada. Não façam como eu, que visitei o Chelsea Market imediatamente depois de tomar o pequeno-almoço. De preferência vão mesmo com muita fome, para poderem comer à vontade. E acreditem que vão mesmo querer provar tudo! Para além dos espaços de restauração, este mercado vale uma visita pela decoração e pelas lojas (sobretudo a livraria e a loja de produtos de cozinha).

chelsea-market

 

 

Wall Street

Confesso que visitei Wall Street com receio de não gostar. Sempre tinha tido a ideia de que, naquela zona, tudo era demasiado confuso e que o tamanho dos edifícios era sufocante. Mudei a minha opinião quase instantaneamente: é tudo monumental, como aliás é característico de NYC, mas nunca tive a sensação de claustrofobia. A zona de Wall Street é o berço da cidade de Nova Iorque e, ao visitá-la, conhecem uma parte muito importante da sua história. Uma coisa que me ajudou a perceber tudo isto foi a free walking tour dos Sandeman, que durou cerca de 3h e nos explicou o início de Nova Iorque de forma muito informal e divertida.

wstreet

wall-street

 

 

Central Park

Eu sei que já vos falei do Central Park (aqui), mas não podia deixá-lo de fora deste post. Na semana que passei em Nova Iorque estive lá três vezes: uma para fazer a parte sul do parque, outra para aproveitar a neve e vê-lo de noite, e outra para o fazer completamente até Harlem. Vi os esquilos, tentei brincar com eles, corri e andei de baloiço como uma criança. E senti sempre que estava fora do mundo, fora do burburinho constante de Nova Iorque. Acho que aquilo de que mais gostei foi de sentir que, ali, podia limitar-me a estar. Apenas estar. E foi tão bom.

centralpark

central-park

central_park

 

 

American Museum of Natural History

Preparem-se para entrar num museu que vos vai transformar imediatamente em crianças outra vez! A ideia de ver animais embalsamados pode fazer impressão a algumas pessoas, mas acreditem que toda a experiência da visita é imperdível. Tão imperdível e absorvente que nem sequer me lembrei de tirar fotografias. Se não quiserem perder muito tempo dentro do museu, aconselho-vos a fazer o download da app (há wi-fi grátis lá dentro). Lá podem seleccionar os temas que vos interessam e dão-vos automaticamente uma sugestão de roteiro.

 

 

High Line

É uma das atracções mais recentes da cidade, mas nem por isso menos popular ou merecedora de uma visita. Há que ache que existem um grande hype infundado à volta do High Line, mas eu cá gostei imenso. Para além de ser um passeio muito agradável, dá-vos uma perspectiva muito diferente da cidade. Podem ver prédios completamente diferentes a coexistir, ruas enormes ou becos, e tudo isto de um ponto de vista mais alto. Se puderem, façam o caminho para um lado e depois regressem, para conseguirem ver os dois trajectos.

highline 

high-line

 

 

Williamsburg & Bushwick Inlet Park

Acredito que grande parte da zona de Brooklyn valha muito a pena ser conhecida, mas a falta de tempo obrigou-me a optar por ir apenas a Williamsburg. E não é que adorei? Conhecido por ser o novo bairro trendy e hipster de NYC, tem uma vida e um ambiente muito próprios. É a nossa LX Factory elevada à décima potência, com a vantagem de ter restaurantes bons e baratos. Se optarem por conhecer este bairro, não podem deixar de dar um salto ao Bushwick Inlet Park, para terem uma vista incrível de Manhattan.

bushwickpark

 

 

Top of the Rock & Empire State Building

Por causa do City Pass (de que também já vos falei), tive a oportunidade de subir tanto ao Top of the Rock como ao Empire State Building. E embora possa parecer redundante subir aos dois edifícios, acreditem que cada um vos dá uma perspectiva diferente da cidade. O Top of The Rock mostra-vos uma paisagem com o Empire State Building e o Central Park em grande destaque. Já a partir do Empire State Building têm uma vista mais aproximada de Times Square e um olhar desafogado para Wall Street. Se puderem, subam aos dois. Se só puderem escolher um, então recomendo o Top of the Rock pela perspectiva mais geral que terão da cidade.

29CDE098-D10B-4A09-A33F-C34BDE086D67.jpg

30CFF351-8FB5-49E6-8990-992119C48A04.jpg

92137D22-59AA-4C8C-A37B-DF304D1D16D8.jpgD864AFA9-DC5C-42C9-90B6-1D41D05F54B6.jpg651DD1F2-711A-45D9-91EB-791996ED228F.jpg 

 

Agora, se não se importam, vou só ali chorar mais um bocadinho de saudades de NYC. E preparar o terceiro (e último) post sobre este destino: o que comer.