Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

Edimburgo // 10 coisas a não perder

EDIMBURGOFAZER-POST.png

 

Edimburgo nunca esteve no topo das minhas prioridades de viagens, embora nunca descartasse essa hipótese. Acho que estive sempre à espera que surgisse uma oportunidade ou promoção que me levasse a passar lá um fim-de-semana. Ainda assim, é um dos destinos favoritos do Guilherme (já lá vamos) e foi a cidade que escolhemos para passar a segunda semana das nossas férias na Escócia.

 

Não costumo gostar muito de fazer ou ler listicles, porque me soam sempre a enganadoras. Mas, curiosamente, quando estava a escolher os pontos que, a meu ver, não podem perder se forem a Edimburgo, calhou serem dez - um número demasiado redondo para não o apresentar em forma de lista. Haveria muito para falar sobre Edimburgo e passaria horas a fazê-lo - já que fiquei verdadeiramente rendida à cidade. Por enquanto deixo-vos apenas as dez coisas que têm mesmo que visitar.

 

1. Grassmarket & Victoria Street

Não há um centímetro do centro histórico de Edimburgo que não seja encantador, mas Grassmarket ficou-me no coração. Historicamente, esta zona surgiu para ser um local de compra e venda de animais e, posteriormente, era o sítio preferido para execuções e enforcamentos. E, apesar desta sua origem negra, a verdade é que actualmente é uma das partes mais cosmopolitas da cidade. É a partir de Grassmarket que se tem uma das melhores vistas para o Castelo e, do lado oposto, situa-se a Victoria Street - possivelmente a rua mais encantadora de Edimburgo pelas suas cores.

 

victoria-street.jpg

victoria-street-1.jpg

 

 

2. Dean Village & Water of Leith Walkway

Se, quando viajam, gostam de conhecer locais longe da confusão da cidade, então não podem perder a Dean Village. Esta foi uma das primeiras sugestões que me deram quando comecei a planear a viagem e foi um dos sítios que mais gostei de conhecer. É uma vila pequena, junto às águas do rio Leith, com casinhas encantadoras. É ideal para começar o dia com um passeio tranquilo e transportou-me para um conto-de-fadas. Só tenho pena que grande parte do percurso da Water of Leith Walkway estivesse interdito, já que deve ser um passeio bonito quando feito na totalidade.

 

water-of-leith.jpg

dean-village.jpg

dean-village-1.jpg

 

 

3. Calton Hill

Para terem uma vista 360 da cidade e a uma distância relativamente próxima, não podem deixar de subir ao Calton Hill. É aqui que se situa o National Monument, uma espécie de Partenon que homenageia os soldados que morreram nas guerras napoleónicas. O melhor deste local é o facto de poderem sentar-se no relvado e ficar apenas a admirar a cidade de cima.

 

calton-hill.jpg

calton-hill-view.jpg

 

 

4. Arthur’s Seat

E já que estamos a falar de vistas, o Arthur’s Seat é absolutamente imperdível. É um antigo vulcão, por isso preparem bem os pulmões e a coragem porque custa (bastante) chegar lá a cima. Eu ia falecendo algumas vezes, sobretudo porque já estava quase no final da viagem e as pernas já estavam bem massacradas. Se apanharem um dia descoberto, vão ficar impressionados com a vista.

 

arthurs-seat.jpg

 

 

5. Leith & Walk of Leith

Leith fica a cerca de uma hora a pé do centro de Edimburgo e, se forem com tempo para explorar a cidade, vale bem a pena irem até lá. É uma vila muito pequena perto do mar, mas muito agradável para um passeio junto à marina. No regresso à cidade, optem por caminhar pela Walk of Leith - uma rua muito comprida, mas cheia de pormenores encantadores.

 

leith.jpg

leith-1.jpg

 

 

6. The Fringe & Royal Mile

Edimburgo em Agosto é completamente diferente da cidade que podem conhecer durante o resto do ano - não que eu já tenha lá ido noutra altura, mas acreditem que todos os escoceses vos vão confirmar esta ideia. E é tudo devido a uma coisa chamada The Fringe, um enorme festival de artes performativas com especial enfoque na comédia. Foi este o principal motivo que nos levou a escolher a Escócia como destino de férias, já que o Guilherme costuma assistir ao festival todos os anos. Embora os espectáculos vão ocorrendo um pouco por toda a parte, em sítios desde faculdades, cafés, livrarias, igrejas ou até na rua, é na Royal Mile que todos se juntam para divulgar a panóplia de coisas que se pode ver na cidade, durante o mês.

 

royal-mile.jpg

the-fringe.jpg

 

 

7. Edinburgh Castle

Da primeira vez que subimos ao Castelo com o objectivo de o visitar, ficámos pasmados com o preço do bilhete e decidimos não entrar. No dia seguinte, durante uma tour com os maravilhosos Sandeman, ficámos convencidos a regressar lá quando disseram que o famoso Red Wedding de Game of Thrones tinha sido inspirado por um acontecimento que se passou no Castelo - o Black Dinner. E não me arrependi de um cêntimo gasto: por dentro, o Castelo é bem maior do que parece e tem imensas coisas para ver, incluindo a reconstituição de prisões de época.

 

edinburgh-castle.jpg

edinburgh-castle-1.jpg

 

 

8. Maison de Moggy

Pronto, pronto, eu sei que nem toda a gente vai gostar deste sítio, por isso falo especialmente para as Crazy Cat Ladies e para os Crazy Cat Gentlemen que me estão a ler. Durante a minha estadia em Edimburgo fui conhecer o primeiro Cat Cafe da cidade - o Maison de Moggy. Ao contrário do conceito que já conhecia, aqui só entram cerca de dez pessoas de cada vez e durante uma hora, para respeitar ao máximo a tranquilidade dos gatos. Gatos esses que são autênticas vedetas!

 

maison-de-moggy.jpg

maison-de-moggy-1.jpg

maison-de-moggy-2.jpg

maison-de-moggy-3.jpg

 

 

9. National Museum of Scotland

O National Museum of Scotland é o sítio ideal para nos abrigarmos da chuva e do frio em Edimburgo, já que nos mostra as maravilhas da História Natural em todo o seu esplendor. Para além da exposição ser muito cativante, o edifício é lindíssimo! Eu só explorei a ala dos animais e, mesmo assim, passei lá quase uma manhã inteira. Tenho a certeza que vou regressar lá em próximas visitas a Edimburgo, até porque a entrada é grátis.

 

scottish-national-museum.jpg

 

 

10. Greyfriars Kikryard

Não sei se já tinha comentado aqui pelo blog, mas tenho um grande fascínio por cemitérios e é um dos sítios que mais gosto de conhecer em viagem. E o Greyfriars Kikryard não é um cemitério qualquer. Primeiro, porque é lá que está enterrado o Greyfriars Bobby, um cão que supostamente esteve perto da campa do seu dono durante 14 anos, até ele próprio morrer também. Para além disso, diz-se que foi ali que J. K. Rowling foi buscar grande parte da inspiração para criar o universo Harry Potter, nomeadamente os nomes das personagens (sim, foi lê-los nas lápides).

 

Greyfriars-Bobby.jpg

Greyfriars-kirkyard.jpg

 

 

Já conhecem Edimburgo? Se sim, que outros locais colocariam nesta lista? Se não, quais os sítios que têm mais curiosidade em visitar? Quero saber tudo, por isso usem e abusem da caixa de comentários. Em breve chegará um post com as minhas recomendações de cafés e restaurantes nesta cidade! 

7 comentários

Comentar post