Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Rita da Nova

∞ / ⇔ / 01:10

TATUAGENS-POST.png

 

Uma das coisas curiosas que vos revelei sobre mim foi o facto de ter uma tatuagem, mas querer fazer mais quatro. Pois bem, tenho que corrigir: tenho três tatuagens e quero fazer mais duas.

 

Já vos tinha contado que, em Turim, tatuei um infinito () no pescoço para simbolizar a eternidade de alguns momentos e para me lembrar constantemente que está tudo ligado - what comes around, goes around. Gosto de estar sempre consciente para a existência de uma coisa chamada karma: é preciso pensar muito bem antes de fazermos o que quer que seja, pois nunca sabemos o que acontece.

 

infinito.jpg

 

Há muito tempo que queria fazer o símbolo de equivalente (este: <=>) atrás da orelha. Prefiro sempre locais mais escondidos para guardar estes pequenos pormenores. Apesar de todos os usos e definições que possa ter, para mim tem um significado mais básico. É que, para além de ser um equivalente, mostra-nos que o símbolo de "menor" é igual ao símbolo de "maior". Ou seja: menos é igual a mais, menos é mais. Se eu tivesse um mantra de vida seria este, por isso fez-me todo o sentido gravá-lo na pele. 

 

equivalente.jpg

 

A terceira - e possivelmente a que gera mais curiosidade acerca do seu significado - está no antebraço esquerdo e é muito maior do que as outras duas. E quem me acompanha mais de perto deve ter percebido que o Guilherme fez uma igual. Não quero demorar-me muito a descrever o significado destes números (01:10), já que podem percebê-lo se lerem este post. Quero apenas dizer que não, nós não temos a certeza que vamos ficar juntos para sempre e que não, não me arrependo de partilhar uma coisa tão permanente com outra pessoa. Aliás, só o fiz porque tenho a certeza que vou gostar da nossa história para sempre, aconteça o que acontecer. Para mim as tatuagens são formas de me lembrar do caminho que percorri e do que quero percorrer; de marcar para sempre momentos que foram importantes na minha história. E conhecer o Guilherme mudou-me para sempre.

 

01:10.jpg

 

É curioso que, sendo eu uma pessoa de palavras, para quem não há melhor forma de expressão, não tenha nem uma letra tatuada no corpo. Na verdade tenho apenas símbolos matemáticos ou números. São mais enigmáticos e, ao mesmo tempo que são inerentemente objectivos, tornam-se muito subjectivos e pessoais quando tatuados.

Contem-me tudo: têm tatuagens? Ou querem fazer?

22 comentários

Comentar post